O Atlético teve tudo para engatar sua quinta vitória seguida neste domingo no Campeonato Brasileiro. Começou bem, saiu na frente, dominou o terreiro em pleno Orlando Scarpelli, mas permitiu o empate e se viu de campo reclamando da arbitragem de Rafael Traci. Autor do gol alvinegro, Fred foi expulso em um lance discutível que mudou os rumos do duelo.

O placar de 1 a 1 freia a arrancada do Galo na competição, que poderia ter colado no G-4 se tivesse vencido. Com 20 pontos, o alvinegro vai terminar a 13ª rodada em nono lugar. No próximo domingo, o time de Marcelo Oliveira encara o Flamengo, em Brasília.

O resultado é lamentado porque o adversário não vivia um bom momento e estava cheio de desfalques. Bem mais organizado, o Atlético só precisou de 7 min para abrir o placar com o artilheiro Fred, o quarto gol dele em sete jogos com a camisa alvinegra.

A exemplo dos dois últimos triunfos, contra América e Botafogo, a equipe saía na frente logo nos primeiros minutos, deixando o time mais precavido na defesa e engatilhado para contra-atacar.

Então na zona de rebaixamento, o Figueira estava há quatro jogos  sem vitória e convivia com a  pressão de sua torcida. O técnico Vinícius Eutrópio poderia até ter perdido o cargo em caso de novo revés. Esse pequeno poder de reação, aparentemente, facilitava  a vida atleticana. Victor, aliás, não fez nenhuma defesa difícil na primeira etapa.

Para o segundo tempo, o cenário mudou. Patric entrou no lugar de Robinho. Pela nona vez seguida, o Rei das Pedaladas não permanece os 90 minutos em campo. Mas a mudança também se daria no placar. Num desatenção da zaga, Ermel surgiu na cara de Victor para empatar aos 6 min. Improdutivo, Clayton – em seu primeiro jogo contra o time que o formou – deu vez a Carlos.

E a aparente facilidade que se desenhou  acabou desmoronando  após expulsão de Fred, aos 12 min. Ele teria acertado o adversário com um cotovelada, mas o atacante contestou. Os lances capitais no jogo baquearam o Atlético. Na mesma medida, aumentou o descontentamento com a arbitragem, que não poupou nos cartões amarelos. Yago foi expulso nos instantes finais.

THIAGO NOGUEIRA/OTEMPO