Nesta sexta-feira (12), o Ministério Público Estadual (MPE) denunciou, o vereador Márcio Nobre (PDT) e o ex-chefe de gabinete do legislador, André Hilário, pelos crimes de falsificação de documento particular e de uso de documento falso (artigos 298 e 304 do Código Penal, respectivamente) durante a realização do 8º Casamento Comunitário de Uberlândia, em outubro de 2013. Protocolada no Fórum de Justiça em Uberlândia pelo promotor Genney Randro de Moura, a denúncia ocorre há pouco mais de dois meses de a Polícia Civil indiciar ambos pela mesma circunstância. O processo, agora, está sob a responsabilidade da 4º Vara Criminal da cidade. Caso a Justiça local aceite a denúncia e haja condenação, os dois podem ser condenados à prisão de ao menos um a seis anos mais multa, considerado os dois crimes pelo Código Penal. Como a acusação aponta o uso de quatro documentos, a pena pode ser quadruplicada. O vereador Márcio Nobre (PDT) nega, que tenha cometido qualquer crime durante a organização e realização do 8º Casamento Comunitário de Uberlândia em 2013. Dizendo que se houve alguma irregularidade durante o processo do evento foi todo cometido pelo ex-assessor André Hilário.