Estreia no próximo dia 14, em Belo Horizonte, após conquistar média de 85% de ocupação nas salas de cinemas em Fortaleza, São Paulo (capital), Guarulhos, Pará e Roraima, o primeiro filme que traz uma visão espírita sobre a vida e obra de Nosso Senhor: “Nos Passos do Mestre: Jesus segundo o Espiritismo”, do diretor André Marouço, que também dirigiu “Causa e Efeito” (Paris Filmes, 2014) e “O Filme dos Espíritos” (Paris Filmes, 2011).O filme foi viabilizado por meio da plataforma Catarse, de financiamento colaborativo, tendo alcançado mais de 900 apoiadores e R$ 120 mil, o triplo da expectativa da equipe.A proposta do filme é a reconstrução de Jesus como personagem histórico por meio de uma análise profunda e racional.

A película aborda passagens que envolvem a vida do Cristo sem o apego a dogma.O filme deixa claro que Jesus em momento algum quis criar qualquer religião, mas disseminar o amor e a paz.

A reencarnação e a mediunidade também são tratadas, mostrando que ambas são validadas pelo Antigo e pelo Novo Testamentos.O longa foi produzido após seis anos de estudos em diversas obras judaico-cristãs, em especial a Bíblia e o livro “O Evangelho segundo o Espiritismo”, de Alan Kardec.

Segundo o diretor André Marouço, a ideia do filme veio depois de uma conversa com o amigo Adão Nonato, psicólogo, advogado, estudioso do Antigo Testamento e que tem participação especial no filme.“Ele nutria um desejo antigo de conhecer Israel, por meio de uma excursão, palestrando em locais sagrados sobre a importância dos grandes feitos evangélicos, sob a luz da racionalidade da doutrina espírita.

Daí pensei que eu poderia enviar uma equipe para filmar tudo e, com as imagens poderíamos fazer um documentário, mostrando a importância dos locais e eventos para a árvore judaico- cristã”, relembra o cineasta.“Para desmistificar muitas das mensagens contidas nos textos sagrados e que até hoje ainda são mal compreendidas, fomos até Egito, Jerusalém, Turquia e Itália para mostrar os lugares mais significativos da história cristã.

Inserimos algumas dramatizações para ilustrar as falas do documentário. Estiveram envolvidas muitas mentes, muitas mãos, muitos corações”, relembra André.

O cineasta explica que a doutrina espírita se apoia em uma tríade: ciência, filosofia e religião, “pilares sobre os quais fundamentamos a nossa fé. Muito se filmou sobre esse personagem incrível.

Nossos irmãos católicos, evangélicos e judeus já fizeram películas sobre Jesus. Era natural que, quando fôssemos fazer um filme, ele iria se fundamentar na ciência da doutrina espírita”.

O diretor faz um convite aos espíritas e aos não espíritas para assistir ao filme, neste momento urgente do Brasil e do mundo. “É preciso compreendermos a religião que Jesus veio nos trazer, que é do futuro e do amor, não é de raça, cor de pele, condição sexual.

Temos capacidade de nos reunirmos e alcançar a tão sonhada paz, o amor. A mensagem de Jesus é de transformação”.

ReceptividadeOpiniões. Os católicos ficam incomodados com as questões dogmáticas, e alguns estudiosos revelam que não haviam pensado em alguns trechos sob a ótica da razão propiciada pela doutrina.

SERVIÇO: O filme será exibido no próximo dia 14. A distribuidora do filme ainda não divulgou horário e sala.

Conferir essa informação no site:http://nospassosdomestreofilme.com.

br/, que traz ainda o trailer oficial, ou na página do facebook: https://www.facebook.

com/DocNosPassosDoMestre/?fref=tsVirgindade de Maria e ressurreição de Jesus são rechaçadasNa película “Nos Passos do Mestre: Jesus segundo o Espiritismo” alguns dogmas são banidos.“A virgindade de Maria é biologicamente impossível.

Como uma criatura pode ser gerada do nada? A fertilização in vitro é uma técnica atual e, mesmo assim, necessita de óvulo e sêmen. Etimologicamente, a palavra “virgem” significa uma mulher jovem – e não pura– que não tinha atividade sexual.

A Bíblia disse que o Messias viria de uma virgem, ou seja, uma mulher jovem. A razão nos diz que o impuro não é o sexo, mas o uso que fazemos dele.

A maneira de reencarnar de Jesus foi por meio de um amor responsável e verdadeiro entre duas pessoas”, defende André.Outro dogma, a ressurreição de Lázaro, também é contestado.

“Sabemos que, uma vez que ocorre a paralisação da atividade cerebral, tem início o processo de decomposição neuroquímica. Seria impossível esse quadro ser revertido.

A traição de Judas é algo impensável. Como alguém poderia enganar o Cristo, que tinha um conhecimento de psiquismo que nenhuma outra entidade teve? Vamos ao encontro da ciência e da filosofia para trazer um Cristo menos miraculoso, mas dotado de capacidade de trabalho, filosofia e pensamento jamais vista”, finaliza o cineasta.

DepoimentoTraduções adulteraram a BíbliaEste filme apresenta Jesus sob a perspectiva judaico-cristã associada aos ensinamentos contidos na revelação espírita. Jesus nasceu, viveu e morreu como judeu e pregou para judeus.

As traduções existentes passaram por muitas adulterações do hebraico para o grego, do grego para o latim, e daí para os idiomas ocidentais, somando-se a isso os concílios e os dogmas que existem até hoje.Jesus nos fala que devemos buscar a verdade, porque só ela nos libertará.

O primeiro mandamento do Gênesis é “crescei e multiplicai-vos”. Olhando pelo prisma do judaísmo, como está no Gênesis, a virgindade e o celibato são contrários à lei da Torá (o Pentateuco).

 Não casar é que é condenável no judaísmo.O filme procura desmistificar muita coisa até então aceita como inquestionável.

O objetivo principal é apresentar novos conceitos para reflexão dos cristãos, sem objetivar destruir ou desrespeitar a fé daqueles que acreditam em suas tradições.Severino Celestino da Silva, curador do filmeOTempo
.

Fonte: Gazeta de Uberlândia