Wesley Safadão está confirmado como a atração principal do São João 2016 de Caruaru, no próximo sábado (25), depois uma batalha judicial envolvendo o cachê do cantor, que só perde para o de Roberto Carlos. A suspeita de que o valor de R$ 575 mil cobrado pelo artista para se apresentar na cidade pernambucana estava bem acima da quantia pedida para realizar show no São João de Campina Grande (PB) – R$ 195 mil – gerou uma ação popular, impetrada com o objetivo de cancelar o contrato de Wesley, acostumado a lidar com cifras milionárias.
Segundo o telejornal “Bom Dia Brasil”, o desembargador José Viana Ulisses revogou, nesta quarta-feira (22), a liminar que impedia a apresentação do cantor.

“Diante da comprovação de que os recursos utilizados para o pagamento do show objeto da lide estão fora do orçamento do erário municipal, impõe-se a autorização para a sua realização”, diz o documento assinado pelo magistrado.
O cantor, em meio aos preparativos do seu casamento orçado em R$ 1 milhão, não se manifestou publicamente sobre o caso, mas postou um texto reflexivo no Instagram nesta quinta-feira (23).

“Ser feliz não é viver apenas momentos de alegria. É ter coragem de enfrentar os momentos de tristeza e sabedoria para transformar os problemas em aprendizado”.

Como resposta a toda essa polêmica, a empresa responsável pelos shows do Wesley informou em nota que o valor de R$ 195 mil “não condiz com a realidade” e que “não existe contrato firmado com Campina Grande”.
Secretário municipal explica cachê de Wesley Safadão
A prefeitura de Caruaru se manifestou oficialmente sobre o caso envolvendo o cachê de Wesley Safadão.

“Em Caruaru, ele vai cantar no dia mais nobre de todos, o único sábado entre São João (24) e São Pedro (29). São razões de mercado, não são questões que se possa aumentar ou diminuir muito o preço.

depende da negociação”, disse Rui Lira, Secretário de Governo de Caruaru em entrevista à “TV Globo”.
Na cidade do Agreste de Pernambuco as críticas ao cachê de Wesley Safadão foram motivadas pela crise econômica que o país enfrenta, o problema de abastecimento de água e a possibilidade de contratar artistas locais por um valor bem mais baixo.

Dinheiro causa problema para cantor
O faturamento do cantor gira em torno de R$ 12 milhões mensais, mas as cifras milionárias não dão apenas alegrias. Além da polêmica em Caruaru (PE), o artista tem uma dívida de R$ 1, 5 milhão, referente a compra de um carro, cobrada publicamente pelo ex-Fazenda Felipeh Campos
(Por Regiane Jesus)
.