Capítulo 1 – terça-feira, 05 de julho
O comandante Tibar e muitos soldados cananeus observam Josué da muralha de Jericó, em Israel. Do outro lado da muralha, Josué, ao lado de Calebe, aguarda o momento certo para invadir. Nas ruas de Jericó, o povo reclama da falta de agua e comida.

No palácio de Jericó, Tibar fala ao rei Marek que o povo está revoltado. O rei ordena que qualquer manifestação deve ser punida com a morte.

Do lado de fora, Josué e Calebe avistam algo que chama a atenção. É um soldado mascarado que desaparece no deserto.

Josué diz a Calebe que após a sétima volta ao redor da muralha, todos devem gritar acompanhando as trombetas dos Levitas. Deus revelou que, se agirem assim, o muro da cidade cairá abaixo e eles podem invadir.

Algumas das mulheres hebreias estão reunidas, tensas, esperando pelos homens que estão participando da ronda a Jericó. Moradores de Jericó brigam por um pedaço de pão.

  Raabe e Nobá passam pela rua e roubam um pedaço de pão e levam para casa. O pai Orias divide o pão entre os filhos e sua esposa Milah.

Na masmorra do palácio, Tobias e Zuma ficam na expectativa dos acontecimentos. Orias retira o pano vermelho da janela contra a vontade de Milah.

Raabe pede que deixe o pano na janela para todos da casa ficarem protegidos.  Os hebreus continuam marchando ao redor das muralhas até completar sete voltas.

Josué avisa aos hebreus para não levarem nada de Jericó, a não ser os metais preciosos que vão para a Casa de Deus, e que os únicos cananeus que serão poupados são os da casa da prostituta Raabe marcada com um pano vermelho. No palácio, Tibar e seu filho Sandor recebem Aça, o informante hebreu que avisa que Josué invadirá e não poupará ninguém, apenas a casa da prostituta.

Tibar se assusta com a notícia e reune os soldades para matar Raabe. Sandor corre para avisar Raabe, levando-a para um lugar seguro.

Tibar alcança Raabe e atira uma lança para matá-la. Do lado de fora, os sete sacerdote levitas tocam as sete trombetas e Josué pede que todos gritem para invadir.

No alto das muralhas, alguns caldeirões de óleo fervente viram, derrubam o óleo quente pelo chão, e logo são engolidos pelas fendas que se abrem.  Os soldados cananeus recuam aterrorizados, gritando de pavor e tentam escapar das fendas.

A partir desta apresentação, dá-se início ao tempo presente da novela.  Em frente da grande tenda de Josué um grupo de hebreus cobra por um líder  e questiona se Moisés morreu mesmo.

Calebe e Eleazar dizem que Moisés escolheu Josué e que ele deve assumir a liderança e que Israel precisa dele. Josué olha para o céu e pede que Deus converse com ele para saber qual direção tomar.

Deus conversa com Josué que fica atônito.
 
Capítulo 2 – quarta-feira, 06 de julho
Deus dá a notícia a Josué da morte de Moisés.

Josué se abala mas olha para o céu com muita coragem e determinação. Deus dá a ordem para Josué e seu povo passarem pelo rio Jordão e conquistar Israel.

Deus diz que nunca desamparará Josué e que fará o povo herdar a terra que prometeu dar aos pais de Josué. Mas pede que tenha o cuidado de fazer tudo de acordo com os mandamentos Dele.

Na tenda de reuniões, Josué dá a notícia da morte de Moisés para os doze líderes e ordena que todos peguem bastante comida para atravessar o rio Jordão e conquistar a terra que foi prometida. Eliebe luta contra Tarik.

Tarik fere Eliebe. Aruna corre para ajudar Eliebe.

Tarik arrasta Aruna em direção ao cavalo. Do alto da ribanceira, Josué salta sobre Tarik e os dois começam a lutar.

Josué fere Tarik. Outros soldados aparecem e Josué e Aruana lutam contra eles.

Os hebreus vencem a luta. Na tenda hospital, Darda e sua filha Chaia entendem de ervas e são responsáveis pelo atendimento aos doentes de Israel, são médicas e parteiras.

Elas são auxiliadas por Jesana. Elas cuidam do ferimento de Elieber.

Acã e seus filhos conspiram contra Josué. O novo libertador pede à Darda para tentar salvar o cananeu capturado.

Aruna lamenta o incidente com Elieber. Josué se recorda dos conselhos de Calebe e diz para Aruna que precisarão avisar aos familiares de Elieber.

Acã e Eliazafe duvidam que os hebreus consigam atravessar o rio Jordão.  Na masmorra do palácio, uma virgem espera para ser sacrificada.

Racom se depara com os soldados cananeus mortos e se enfurece ao notar que Tarik sumiu. A virgem é sacrificada na praça central de Jericó como parte do ritual sob os olhares da multidão, do rei Marek e da rainha Kalesi.

Tobias e Maquir treinam com espadas, enquanto Jéssica, Samara e Livana assistem animadas. Zaqueu interrompe o treinamento para avisar do ataque a Elieber e Aruna.

Ao ser avisada por Josué, Léia se desespera com a notícia. Samara sente ciúmes ao notar o jeito como Aruna agradece Josué.

Assim que o rapaz deixa a tenda de Quemuel, Léia começa a culpar Aruna pelo ocorrido com seu filho mais velho. Enciumada, Samara ameaça Aruna.

Quemuel intervém e consola a moça. Josué convoca os chefes das tribos Rúbem, Gad e Manassés para que eles encabecem o exército na travessia do rio Jordão na guerra contra os cananeus.

Elói pede para lutar com os soldados, mas Josué diz que é melhor o rapaz cuidar de outros afazeres.  Em conversa com Aruna, Quemuel avisa que mexer no passado só trará dor a ela.

Elói avisa sobre a chegada dos líderes das três tribos. Raabe é humilhada pelas pessoas no comércio da cidade de Jericó e se desespera ao ser ameaçada por Tibar.

Josué conversa com os líderes das tribos. Ele avisa que Moisés estabeleceu que eles deveriam encabeçar o exército rumo à Terra Prometida.

Eliazafe e Haniel avisam que eles não terão condição de atravessar o Jordão e muito menos invadir Jericó. Os dois líderes dizem que o pedido de Josué é uma loucura e o clima esquenta entre eles.

Tibar se distrai e Raabe consegue fugir. Ele começa a persegui-la.

O oficial alcança Raabe, que pede perdão. Desesperada a prostituta pede para Tibar matá-la.

Ele a liberta em tom ameaçador. Eliazafe e Haniel pedem um tempo para dar a resposta a Josué.

Calebe se irrita com a desconfiança do povo. Ao saber das riquezas em Canãa, Acã decide apoiar Josué com segundas intenções.

Ele começa a convencer Haniel a seguir para a Terra Prometida. Salmon conversa com Lila sobre seus antepassados.

Elieber tem delírios no leito. Aruna sofre ao ver o rapaz naquele estado.

Samara impede que a moça continue cuidando de seu irmão. Maquir lança um olhar apaixonado à Livana, que disfarça.

Merodaque oferece o sangue da virgem aos deuses do templo de Jericó. A rainha Kalesi se antecipa e toma o cálice com sangue das mãos do sacerdote.

Ela oferece aos deuses e questiona Merodaque sobre a veracidade do ritual. O sacerdote avisa que o reino está totalmente protegido.

Maquir se declara à Livana, mas ela pede para o rapaz esquecê-la. Ele puxa a moça pelo braço e a surpreende roubando-lhe um beijo.

No salão da estalagem, muitos clientes nas mesas. Farduk e algumas prostitutas, entre elas, Liora e Raabe servem as mesas.

Farduk repara em Raabe num canto, retraída, assustada, triste, quase se escondendo. Farduk vai conversar com ela e conta toda a história dos hebreus desde a época de Moisés e Ramsés.

Raabe fica encantada com o poder do Deus dos hebreus. No palácio, o rei Marek é surpreendido com a visita de Racom.

O soldado conta que os soldados foram mortos pelos hebreus e que Tarik foi capturado.
Capítulo 3 – quinta-feira, 07 de julho
Furioso, o rei Marek avisa que se banhará no sangue dos hebreus.

Enquanto Raabe fica encantada com o Deus de Israel, Farduk avisa que este povo jamais conseguirá invadir Jericó. Elieber acorda e chama por Aruna.

Samara e Léia não gostam do que ouvem, mas decidem atender ao pedido do rapaz e chamam a moça. Elieber pede para ficar sozinho com ela.

Tarik finge estar desacordado enquanto avista uma faca na tenda. Elieber diz para Aruna nunca esquecer quem é e, logo em seguida, morre em seus braços.

Léia se desespera com a morte do filho e, junto de Samara, culpa a moça pela morte de Elieber. Tarik aproveita a distração de todos e consegue pegar a faca, escondendo-a sob o lençol.

Jéssica consola Aruna. Tibar chega à estalagem de Farduk e força Raabe a se deitar com ele.

Aruna não suporta os últimos acontecimentos e chora desesperada. Tarik nota a presença de Samara e a faz de refém, ameaçando-a com a faca.

Jesana corre para avisar a Josué. Raabe aproveita enquanto Tibar dorme para pegar a espada do oficial.

Empunhando a faca contra o pescoço de Samara, Tarik pede para falar com o líder do acampamento. Raabe não tem coragem para atacar Tibar.

Salmon tenta negociar com Tarik. Tibar acorda e não nota que Raabe tentou lhe matar.

Josué chega à tenda onde Samara está sendo ameaçada. Ele tenta acalmar Tarik.

Raabe engana Tibar ao fingir gostar do comandante. O Oficial conversa com Racom sobre os hebreus.

Samara grita pedindo a ajuda de Josué. Tarik pede um cavalo para a fuga, mas Josué exige que Samara seja libertada antes.

Em conversa com Liora, Raabe diz ter medo da obsessão de Tibar e revela que o comandante tirou sua chance de ser feliz. Tarik tenta matar Samara, mas é atingido por uma flechada disparada pelo misterioso soldado mascarado.

Léia e Quemuel tentam acalmar a filha após o ataque de Tarik. Samara distrata Aruna e impede que a moça durma em seu quarto.

No celeiro, Aruna pede força a Deus. Darda, Chaia e Jesana preparam o corpo de Elieber para o sepultamento.

Iru provoca Maquir e eles brigam. Salmon intervêm e diz que não pode haver brigas entre os hebreus.

Livana diz a Maquir que não é certo se relacionarem, mas ele a beija. Sem ser percebido, o menino Gael vê Maquir e Livana se beijando.

Calebe repreende Iru por desrespeitar um líder tribal. Haniel diz que é uma sina ter um filho imprestável como Gael.

Maquir aconselha o pai a ir para a guerra. Ele descobre que Gael viu o beijo em Livana e pede segredo ao irmão.

Josué lamenta a morte de Elieber. Farduk, Liora e Raabe comentam sobre a força do Deus dos hebreus.

Começa o cortejo fúnebre de Elieber. Tibar avisa que não é possível atacar todos os hebreus de uma só vez.

O general aconselha o rei a começar atacando o líder Josué. Aruna assiste de longe ao enterro de Elieber.

Boã, Eliazafe e Haniel dizem a Josué que suas tribos participarão da guerra ao lado do líder hebreu. Satisfeito, Acã observa com a certeza de que poderá lucrar com a guerra.

Josué declara o avanço à Terra Prometida de Canaã. No fim do enterro, Josué avista Aruna afastada e vai até ela.

Ele oferece companhia até sua casa, mas a moça recusa. Salmon incentiva os outros hebreus a continuarem treinando.

Jéssica diz que não vê a hora de estar casada com Salmon. Iru zomba do jeito como Otniel luta.

Acsa também debocha do rapaz, enquanto Lila o incentiva. Gibar flerta com Acsa.

Josué comenta sobre o soldado mascarado com Aruna, mas a moça desconversa. Racom e outros soldados cananeus os observam de longe e começam a segui-los.

Sorrateiramente, Racom e os oficiais cananeus matam dois soldados hebreus. Eles escondem os corpos e se disfarçam usando as roupas dos hebreus.

Racom e os outros soldados invadem o acampamento e espreitam Josué.
Capítulo 4 – sexta-feira, 08 de julho
Racom e os outros soldados cananeus espreitam Josué no acampamento hebreu.

Samara se incomoda ao ver Aruna chegando com Josué. Léia tranquiliza a filha dizendo que Aruna não é mulher para o rapaz.

Ela aconselha Samara a não destratar a irmã de criação na frente de Josué. Léia faz questão de chamar o novo líder hebreu para a janta.

Com segundas intenções, ela pede para Samara preparar o jantar. A moça se mostra atrapalhada na cozinha.

A rainha pede a Merodaque para oferecer mais oferendas e sacrifícios aos deuses com a intenção de derrotar Josué. Kalesi escolhe algumas mulheres para satisfazerem o rei enquanto pede para Tupak beija-la.

Merodaque ora aos Deuses pedindo a destruição de Josué. Enojada, Raabe chora depois de deitar-se com um cliente.

Samara serve Josué, mas ele se mostra insatisfeito com o sabor da comida. Ela se insinua para ele e o rapaz afirma que seu compromisso é com a guerra.

Josué elogia a habilidade de Aruna com a espada, para o incômodo de Samara. Escondidos no acampamento, Racom e os soldados cananeus continuam a espera de Josué.

Enquanto caminha de volta para casa na companhia de Liora, Raabe é roubada e perde todas as moedas que ganhou na noite. Orias se revolta ao ver a filha chegando em casa sem dinheiro e parte pra cima de Raabe.

Racom ordena que os soldados cananeus ateiem fogo na tenda de Quemuel. Os homens atiram flechas de fogo na moradia.

Josué, Aruna e os outros se desesperam ao notar que a tenda está pegando fogo. Nobá chora ao presenciar Raabe ser agredida por Orias.

Em meio a todo desespero, Josué ordena que ninguém saia da tenda em chamas. Tobias desobedece e deixa o local.

Léia se desespera ao ver o filho sair. Racom vê o hebreu do lado de fora da tenda e manda os soldados atirarem flechas.

Tobias corre apavorado tentando escapar, mas é atingido por uma flechada na coxa. Quemuel lamenta a atitude do filho de fugir da tenda.

Chaia avista a tenda de Quemuel pegar fogo e vai buscar ajuda. Josué tenta usar uma mesa como escudo para protegê-los.

Aruna se dispõem a lutar com Quemuel e Josué. Eles saem da tenda usando a mesa como escudo.

Racom e os soldados cananeus puxam suas espadas. Aruna, Josué e Quemuel lutam contra dez soldados cananeus.

Ferido, Tobias observa a luta escondido. Josué defende Quemuel de um golpe fatal.

  Zaqueu chega ao local com outros hebreus. Eles começam a levar vantagem no combate.

Josué e Aruna voltam para a tenda e salvam Samara e Léia. Racom percebe que estão em desvantagem e ordena que seus homens recuem.

Os guerreiros hebreus comemoram a vitória do confronto. Chaia e Zaqueu socorrem Tobias.

Quemuel abraça Aruna agradecendo por ela ter lutado bravamente. Léia observa e se incomoda.

Samara corre para agradecer a Josué. O líder hebreu oferece sua tenda para abrigar a família de Quemuel.

Com as costas marcadas dos golpes da surra, Raabe suplica pela a ajuda dos deuses. Josué pede que Elói prepare as camas para a família de Quemuel.

Léia não gosta de ouvir o marido dizer que Josué se daria melhor com Aruna do que com sua filha. Samara afirma que Josué está apaixonado por ela.

Aruna se recorda do momento em que foi salva por Josué. O novo líder hebreu ora a Deus.

Nobá ajuda Raabe a cuidar dos ferimentos. O dia amanhece e o maná cai do céu sobre o acampamento hebreu.

Josué acorda e se depara com a mesa posta por Aruna. Ele elogia o maná preparado por ela.

Elói se impressiona ao notar que a moça cuidou de todas as tarefas. Aruna estranha a demonstração de preocupação de Josué.

Enquanto lavam roupas a beira do rio Jordão, as mulheres hebreias comentam sobre a guerra que está por vir. Acã conversa com seus filhos, Melquias e Gibar.

O vilão afirma que Josué não é o melhor líder para os hebreus e seria melhor se ele fosse morto pelos cananeus. Na tenda de Josué, Calebe também elogia o maná preparado por Aruna.

Quemuel nota que Josué tem um coração amolecido. Enquanto tira leite da vaca, Aruna conversa com o animal.

Calebe e Eleazer aconselham Josué a não mostrar suas fraquezas ao povo. Josué avisa a Elói que Quemuel e seus familiares precisam logo deixar sua tenda.

Sem ser percebida, Aruna escuta a conversa. Lila questiona Gael sobre seu jeito quieto e o convida para brincar com os demais.

Josué pede que Calebe reúna os líderes de todas as tribos. Samara tenta provocar Aruna, mas não consegue.

Escondido, Otniel observa Acsa lavar roupa. As crianças o encontram e percebem que ele observava a moça.

Eles chamam Acsa e Otniel se joga no rio para se esconder dela. Os doze chefes tribais se reúnem com Josué.

O líder dos hebreus avisa que é preciso atacar os cananeus para avançarem em direção à Terra Prometida. Alguns líderes tribais discordam.

Firme, Josué avisa que aqueles que não aceitarem as ordens de Deus serão considerados traidores, desertores de Israel.
Classificação indicativa: programa não recomendado para menores de 12 anos.

.

Fonte: TV Foco