Benedito Ruy Barbosa pode odiar histórias de gays e evitá-las em suas novelas, mas nem por isso elas deixarão de alimentar fantasias homoeróticas, que ele não pode controlar. Parece ter sido nesse sentido o comentário postado pelo colega Aguinaldo Silva no Twitter, na noite desta terça-feira — justamente a noite em que a TV aberta estava na expectativa pela exibição da primeira cena de sexo gay das telenovelas, em “Liberdade, Liberdade”.
O autor acredita que a situação inédita possa fazer com que a obra entre para a história da teledramaturgia, como a primeira a mostrar uma cena de sexo entre dois homens.

“Entra para a história por ser a primeira e num horário mais apropriado que é às 23h, na verdade um pouco mais de 23h. É um horário que só vê quem quer, ao contrário das 21h, que as pessoas veem com filho do lado.

E, por isso, é mais complicado. Mas nesse horário é válido.

A gente tem que mostrar, todas as TVs estão mostrando. Na TV argentina, já mostram há muito tempo cenas de sexo entre dois homens, inclusive no horário das 21h.

O que acho é que seja como for, tem que ser mostrado com muito bom gosto. Você não pode mostrar uma cena que deixe as pessoas chocadas ou que de alguma maneira reforce o preconceito em relação ao tema, que ainda existe.

Mas acho válido”, afirma Aguinaldo.

.

Fonte: TV Foco