Convidado (mais uma vez) do “Roda Viva”, na TV Cultura, nesta segunda-feira (11), o autor exclusivo da Globo fez algumas críticas aos seus colegas de profissão, os autores de novelas, elogiou a concorrência e não guardou opiniões.
Sem citar nomes, Aguinaldo Silva disse que hoje em dia os autores fogem do padrão clássico dos folhetins: “O grande problema das novelas é que os autores ficaram meio envergonhados de fazer novela e começaram a fazer antinovela. Nem melodrama nem folhetim.

O publico quer ver herói e vilão”.
Questionado sobre a queda de audiência nas novelas das 21 no seu canal, a Globo, Silva comentou: “Não acho ético falar do trabalho dos meus colegas.

Não vou fazer julgamento. As pessoas ligam, sim, a televisão no horário das 21h.

As pessoas não estão vendo menos as novelas, estão vendo outras coisas…”
Questionado sobre o sucesso de tramas bíblicas na concorrência, Aguinaldo disse aprovar os resultados: “’Os Dez Mandamentos’ é o maior melodrama de todos os tempos. O Antigo Testamento está cheio de grandes melodramas.

O sucesso se deveu a isso. Toda vez que fizerem uma versão dos ‘Dez Mandamentos’ vai fazer sucesso.

 Acho ótimo ter concorrência. Sempre achei estranho um canal ter monopólio”.

Assumidamente viciado em séries, Aguinaldo declarou o que aprende com elas e usa em suas novelas: “Os autores absorvem muita coisa dos seriados. ‘Império’ absorveu.

A agilidade, por exemplo. Alguns personagens.

Mas você tem que falar a linguagem do espectador. Não pode ser uma linguagem intelectual.

Por mais que os temas sejam sérios, têm que ser populares, tratados com leveza. Hoje, se você faz uma cena longa, as pessoas levantam e vão fazer xixi”.

Sobre a sua rotina de trabalho, ele declarou: “Trabalho de 7h ao meia-dia. Faço lanche, durmo, e retomo às 14h.

E trabalho até as 19h. Depois vejo novela, noticiário, novela, ligo pro diretor.

À 0h30 vou dormir”.
Já sobre como faz para redimir uma novela “fracassada”, Aguinaldo mostra sua técnica: “Quando a novela dá errado você tem que sentar o rabo e consertar”, disse, sobre “Suave Veneno” como uma novela sua que deu errado.

“Tinha uma belíssima história e não sabia como contar. Errei no começo.

E consertei.”
Com informações de Maurício Stycer, do UOL.

.

Fonte: TV Foco