No domingo, 17, um episódio realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília, repercutiu tanto que dias depois ainda é um dos principais assuntos da política. Após votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o deputado federal Jean Wyllys, do PSOL do Rio de Janeiro, cuspiu em Jair Bolsonaro, do PSC, que havia votado a favor.
Alexandre Frota resolveu apoiar Bolsonaro.

 O ator compartilhou em uma rede social uma mensagem escrita pelo político do PRB após o episódio. “Caiu a máscara de Jean Wyllys (PSOL-RJ).

Ele é o intolerante, uma pessoa cheia de ódio dentro de si. De fato não representa homossexuais e nem minorias que tanto respeito.

Vamos representar no Conselho de Ética e tomar outras medidas, até porque o deputado diz não se arrepender e poderá fazer de novo. Lamentável e incoerente.

”, escreveu Bolsonaro em seu perfil.
Em uma publicação nas suas redes sociais, Wyllys justificou que o motivo para tomar a atitude drástica seria porque o parlamentar havia o chamado de “baitola” e “queima rosca”.

.

Fonte: TV Foco