Reprodução/Record Cunhada e assessora de Ana Hickmann, Giovana Oliveira disse que renconheceu o fã que fez ela, a apresentadora e seu marido reféns em um hotel em Belo Horizonte no dia 21 de maio. Nesta terça (7), ela relembrou os momentos de tensão que passou em entrevista para César Filho no “Hoje em Dia”. Na véspera do atentado, Giovana disse que desceu ao restaurante do hotel e reparou em Rodrigo de Págua.

“Vi que tinha uma pessoa que olhava muito estranho para mim no restaurante”, contou.”Quando ele [seu marido] entrou no quarto, já entrou falando, ‘calma meninas que estamos com um problema’.

Logo atrás dele entrou uma pessoa armada. Eu reconheci ele do restaurante.

A impressão que a gente tinha é que era um assalto”, disse.  Ela disse que se lembra dos momentos de terror como um filme e, em detalhes, falou sobre a agressividade de Rodrigo: “Ele disse que era um estudante de medicina, que ela [Ana Hickmann] tinha acabado com a vide dele, que tinha emagrecido”.

  Em seu relato, Giovana contou que o fã entregou o celular dele para que ela e Hickmann vissem seu perfil em uma rede social dedicado à apresentadora.  “Ele queria que a Ana pedisse perdão.

Ele queria que ela contasse a história dele pra gente. Ele foi ficando muito nervoso e a Ana também.

Eu a abracei e ele falou, ‘tira a mão da Ana’. Eu rezava muito.

Pensava, alguma coisa nesse quarto pequeno vai ter que acontecer. Como isso vai acabar?”, se recorda.

“Ele começou a f alar que ia fazer roleta russa. Ela [Ana Hickmann] ficou muito nervosa e caiu”, afirmou.

Após 12 dias internada, Giovana disse que a opinião dos médicos é de que ela “nasceu de novo”. “Todos os médicos me falaram isso.

Depois de escutar isso, [penso] que Deus quis que as coisas acontecessem assim”.  “Foi uma tragécia que aconteceu na família, mas temos que pensar que passou.

[Gustavo Corrêa, seu marido] Salvou a minha vida. É um amor que temos há tanto tempo e acontece essa tragédia toda.

É só pra unir cada vez mais”, afirmou. O atentado
.

Fonte: Uol Televisão