Interpretando Maurício na próxima minissérie da Globo, “Justiça”, o ator Cauã Reymond falou sobre a coragem do personagem em matar sua esposa, Beatriz (Marjorie Estiano), no caso de eutanásia, tema que está mexendo muito com a cabeça do galã.
“As pessoas deveriam ter o direito de decidir morrer. É a minha opinião, mas eu sou a favor de sempre estar dentro da lei”, diz Reymond  em entrevista ao jornalista Daniel Castro.

“Poderá propor uma forma diferente de encarar a eutanásia. Se a minissérie fizer a gente repensar a lei, faz sentido, sim, abordar o tema.

Sou a favor da lei, mas também sou a favor da pessoa fazer o que quiser. Cada um tem consciência do que quer para si, principalmente quando está lúcido”, declara o ator.

Na conversa, ele disse que não gostaria de estar na pele do personagem. “Voltei para casa muito mexido após a gravação das sequências mais fortes com a Marjorie, no hospital, com a questão da eutanásia.

Isso me trouxe um questionamento interno que nenhuma preparação traz ao ator”, afirmou.
Para interpretar , Cauã teve de mudar um pouco o visual.

 “Tenho um pouco de cabelo branco, mas a produção os deixa mais brancos ainda. Acho que essa envelhecida que me dão enriquece o meu trabalho como ator”, detalhou.

Para o ator, sua idade é a ideal para interpretar jovens ou velhos. “Posso jogar um pouco mais para frente e um pouco mais para trás.

Eu estou interessado em jogar mais para frente agora. Estou em busca de personagens que têm uma necessidade dramática, e muitas vezes isso tem a ver com a idade”, revela.

.

Fonte: TV Foco