Foto: ReproduçãoEnquanto muitos criticam o “excesso” de cenas quentes na televisão aberta no Brasil, o ator Leopoldo Pacheco, que fez uma participação especial na novela das seis, “Eta Mundo Bom”, fazendo o pai de Candinho (Sergio Guizé), pensa o contrário.
Em entrevista ao webprograma “Senta que lá Vem!”, ele afirma que a TV ainda está “careta e conservadora”, e defende o fim disso: “A TV pode ser muito mais aberta. A gente vem discutindo isso mais abertamente, de fazer uma dramaturgia a respeito”.

“Vemos tanto seriado interessante. Eu vejo essa moçada aos 18, 20 anos, eles são muito mais abertos a respeito de sexualidade.

A gente precisa falar mais abertamente”, disse ele, que tem 55 anos e estreou nas novelas em 1999, em “Andando nas Nuvens”.
MELHOR PERSONAGEM
Ao longo de sua carreira, ele fez personagens marcantes, como o Leôncio de “A Escrava Isaura”, da Record, o qual considera o personagem mais emblemático, e se pudesse repetir algum dos seus trabalhos, escolheria esse, que o fez voltar para a Globo.

Foto: DivulgaçãoSeus últimos trabalhos foram em “Velho Chico”, “Eta Mundo Bom!” e “Ligações Perigosas”. Em 2017, ele estará na novela de Glória Perez, “À Flor da Pele”.

“Acredito que ano que vem vai ser mais difícil fazer teatro com a novela da Glória, das nove […] Vou me concentrar na novela no ano que vem”, conclui.

.

Fonte: TV Foco