(Foto divulgação)Após denúncias envolvendo seu ex-marido, o pastor Felipe Heiderich, a pastora Bianca Toledo decidiu fechar as portas de sua igreja, o Ministério AME (Associação Mundial de Evangelização e Ensino).
Em entrevista ao jornal “Extra”, a pastora afirmou que essa era a melhor coisa a fazer no momento: “Assim que eu soube do ocorrido me reuni com os membros e encerrei a igreja”.
De acordo com ela, a igreja foi criada oficialmente há apenas quatro meses e Felipe constava como presidente do ministério.

Além disso, o pastor Felipe, que era associado da Kingdom Global Ministries (KGM), organização da qual ela já fazia parte, em Dallas, no Texas, o presidente Larry Titus, em carta, suspendeu a licença dada ao pastor.
Relembre o caso: 
Conhecida no meio evangélico por relatos de seu testemunho após quase morrer, a pastora Bianca Toledo fez um desabafo nas redes sociais contando ter descoberto que o marido é homossexual e ainda afirmando que ele estava “acautelado por crime de pedofilia”.

Bianca contou que o marido, que também é pastor, confessou as acusações, tentou suicídio e que foi avaliado em uma clínica psiquiátrica.
No dia seguinte ao desabafo, a Polícia Civil confirmou que a prisão do marido de Felipe Heiderich aconteceu por causa de um suposto estupro ao filho de cinco anos de idade da religiosa, fruto de seu primeiro casamento.

E mais: segundo a titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), Cristiana Bento, o crime teria sido cometido no interior da residência da casa dela com Heiderich, localizada no bairro do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

.

Fonte: TV Foco