Emissoras de TV (Foto: Reprodução)A ONG Repórteres sem Fronteiras (Reporters sans frontières) divulgou a nova pesquisa sobre liberdade de imprensa no mundo na última semana.
Segundo a pesquisa, o Brasil caiu cinco posições e ficou em 104° lugar no ranking mundial. Existem três motivos apontados pela organização para isso ter acontecido.

Informações do G1.
O primeiro é a concentração da imprensa nas mãos de poucas famílias que cria ambiente para a manipulação da cobertura de faz com que “os jornalistas que trabalham para estes grupos sejam claramente sujeitos às pressões particulares e partidárias” de seus patrões.

Outra razão é a repressão da polícia aos profissionais de imprensa em manifestações. “Os jornalistas brasileiros e estrangeiros que cobrem as manifestações são frequentemente insultados, ameaçados ou detidos arbitrariamente”, informa a ONG.

A terceira razão a falta de ferramentas para proteger os profissionais da área. “Houve sete assassinatos de jornalistas no Brasil durante o ano passado.

É um ambiente de medo para os jornalistas, sobretudo os jornalistas independentes, blogueiros, que se encontram longe das capitais e que ficam visados quando investigam sobre tráfico de drogas, por exemplo”, declara Emanuel Colombié, chefe do departamento da Repórteres Sem Fronteiras.
Imprensa no Brasil é famosa pela parcialidade (Foto: Reprodução)As mortes acontecem em Estados da Federação governados por “Coronéis midiáticos”.

“O problema dos “coronéis midiáticos”, que Repórteres Sem Fronteiras descreveu em 2013 em seu relatório ‘O país dos 30 Berlusconis’ continua intocado. Tais ‘coronéis’ são usualmente proprietários de terras e industriais que também são deputados ou governadores e controlam a opinião pública em suas regiões através dos meios de comunicação”, revela artigo em inglês publicado na página da ONG.

.

Fonte: TV Foco