Assim como acontece na TV, o programa “Pânico”, da Rádio Jovem Pam, causa bastante polêmica. A atração, que também é apresentada por Emílio Surita, voltou a ser destaque depois que a declaração de uma das integrantes, Amanda Ramalho, veio a público.
Amanda, que é ateu, teria dito durante um dos intervalos da atração que “Deus é bosta“.

O que ela não esperava é que a convidada do dia, a ex integrante do grupo FEMEN, Sara Winter, iria tornar pública a declaração para os ouvintes do programa.
“Na hora do intervalo, sendo bem sincera… Eu sou uma pessoa temente a Deus, eu respeito as leis de Deus.

E aí, a gente teve por exemplo a Amanda… ela começou a falar assim: “Deus é bosta”.
Os integrantes do programa logo trataram de desmentir Sara, que contou que gravou a declaração.

Em determinado momento da discussão, Amanda admitiu que teria dito a frase, mas “em contexto de brincadeira”.
“Imagina se eu levanto e falo: gay é bosta, mulher é bosta… Pronto, acabou a minha vida.

‘Homofóbica, racista, machista, misógina’. Mas falar que Deus é bosta, pode!”.

Logo depois, Amanda argumentou que tem todo o direito de dar a declaração que quiser, e que a ação de Sara em gravar a conversa no intervalo foi antiética. Amanda ainda declarou que acha Sara uma pessoa “desnecessária”.

Nesta sexta-feira (08), outra polêmica envolvendo Amanda e o deputado-federal pelo RJ, Jair Bolsonaro. Ao ter sido questionado pela radialista se castração química não era uma punição muito retrógrada, Jair Bolsonaro pediu para Amanda “perguntar para a mulher que for estuprada”.

“Mais educado com gay do que com a moça”, brincou Evandro Santo após a resposta de Bolsonaro.

.

Fonte: TV Foco