Sérgio Guizé e Eliane Giardini em cena marcante de “Êta Mundo Bom!” (Foto: Globo/João Cotta)Com números impressionantes de audiência e uma repercussão extraordinária, a atual trama das 18h da Globo, “Êta Mundo Bom!”, tem emocionado e feito muita gente feliz, dentro e fora da emissora dos Marinhos.
Apesar de não existirem fórmulas mágicas, há uma explicação basilar que seguramente esclarece o sucesso do folhetim: o conjunto da obra.
Não somente por ser novela de Walcyr Carrasco, uma vez que autores com nomes consagrados ultimamente têm decepcionado o público.

Nesse contexto, ressalta-se que “Êta Mundo Bom!” não se sustenta em partes. A trama é escrita por Walcyr Carrasco, dirigida por Jorge Fernando, conta com um elenco magnífico e apresenta aos telespectadores histórias fantasiosas, de amor e otimismo.

Candinho (Sergio Guizé) e Pancrácio (Marco Nanini) (Foto: Globo/João Cotta)A direção capricha nas cenas, sejam elas dramáticas ou cômicas. O que falar dos dramas na mansão de Anastácia (Eliane Giardini) e das cenas hilárias na Fazenda Dom Pedro II, onde vive a família de Cunegundes (Elizabeth Savalla)?
O elenco é, no geral, brilhante nas atuações.

Além das supracitadas, destacam-se nomes como: Sérgio Guizé, Bianca Bin, Ary Fontoura, Rosi Campos, Rainer Cadete, Marco Nanini, Camila Queiroz, Priscila Fantin, dentre outros.
As histórias são envolventes e bem amarradas.

Os núcleos são atrativos e se entrosam no desenrolar da trama, o que torna o enredo bem mais interessante.
Ademais, bela fotografia, trilha sonora cativante e ganchos arrebatadores.

Diante do exposto, fica claro que há vários fatores que, em conjunto, contribuem significativamente para que uma trama seja sucesso ou não.
Êta Folhetim Bom!
Críticas e/ou sugestões?
E-mail: danyllo@otvfoco.

com.br
Twitter da coluna: @Ligado_na_TV
As opiniões aqui retratadas não refletem necessariamente a posição do TV Foco e são de total responsabilidade de seu idealizador.

.

Fonte: TV Foco