(Foto: Fabiano Battaglin/ Gshow/ Caiuá Franco/ Globo)Gabriel Leone é um admirador dos trabalhos dirigidos por Luiz Fernando Carvalho. O primeiro que marcou o ator de 22 anos foi “Hoje É Dia de Maria”, minissérie exibida pela Globo em 2005. Mas ele também acompanhou os capítulos de “Meu Pedacinho de Chão” e cresceu ouvindo falar bem de produções como “O Rei do Gado”, por isso, estar em uma trama dirigida por Luiz -Velho Chico- tem grande significado.

 “O Luiz tem um processo muito específico e característico que aplica em todos os trabalhos faz”, elogiou o rapaz.
O ator diz que estava bastante ansioso para começar a gravar.

“Foram meses de ensaio. Foi o processo de preparação mais intenso da minha vida”, afirmou.

 Neste novo papel, Gabriel teve que deixar a barba crescer, além dos cabelos. “A primeira vez que me olhei no espelho, tomei aquele susto, mas já me acostumei”, conta.

Durante a preparação para a atual novela das 21 horas, Gabriel se reuniu com os atores de todas as fases da história em um galpão dos Estúdios Glogo. “Esse contato do todo e essa energia comum entre os atores foi fundamental.

Claro que, em determinado momento, o pessoal da primeira fase entrou em outro ritmo porque eles gravaram bem antes de quem entrou na segunda fase”, explica.
Na história, Miguel é um jovem herói, agrônomo, que quer mudar a relação do homem com a terra: “Ele vem de uma linhagem de homens idealistas, traz isso na herança genética.

Como também o amor”, diz Leone, que como seu pai da ficção, Santo, já “endoidou’’ por amor: “Já amei com intensidade e fiz loucuras. Apesar de entender que o melhor é o equilíbrio entre razão e o emocional.

.

Fonte: TV Foco