Pedro Bial e Gustavo Empinotti na apresentação da edição 2017 do “Criança Esperança”(Foto: Globo/Ramón Vasconcelos)“Menina pretinha. Exótica não é linda. Você não é bonitinha.

Você é uma rainha.” Os versos são de MC Soffia, 12 anos.

A menina usa sua música para discutir o preconceito racial e, na manhã desta terça-feira, dia 14, levantou a plateia jovem que acompanhou o ‘Diálogos da Esperança – Como vai você, jovem brasileiro?’, um debate do ‘Criança Esperança’ 2016, realizado nos estúdios da Globo, em São Paulo. A GloboNews exibe o programa neste sábado, dia 18, às 21h05.

Pedro Bial, que mediou a discussão, trouxe à tona temas urgentes sobre a juventude no país. “Vamos lá.

Vamos rápido porque até a palavra jovem já me soa velha. A gente precisa andar com muita velocidade para acompanhar essa moçada”, disse o jornalista ao abrir a conversa, sob olhares atentos de uma plateia na faixa dos vinte anos.

Entre eles, estavam os participantes do ‘Click Esperança’ – no reality social exibido pelo Fantástico, os jovens produzirão um filme que fará parte desta edição do ‘Criança Esperança’.
Os mobilizadores Dira Paes, Lázaro Ramos, Flavio Canto e Leandro Leal, ao lado de Bial e de jovens lideranças engajadas em causas relacionadas a racismo, gênero, violência e educação, aprofundaram o assunto.

Monique Evelle, fundadora do site Desabafo Social e considerada uma das mulheres negras mais influentes da internet, levantou uma das questões mais prementes: “Só existe racismo para quem sente. Discutir racismo dói e acaba com seu conforto”.

Lázaro Ramos acrescentou: “A gente não fica indignado o suficiente com o tamanho do problema que é o racismo. A gente tem que tentar resolver o problema com representatividade”.

Lázaro Ramos, Dira Paes, Rafael Dragaud, Leandra Leal, Beatriz Azeredo e Flávio Canto(Foto: Globo/Ramón Vasconcelos)Flávio Canto, que há 16 anos criou o Instituto Reação, testemunhou a favor do esporte na luta contra a violência e defendeu: “A gente não pode atrelá-la a uma única causa. Há um Brasil que enxerga isso muito longe e mobiliza muito pouco.

É muito simplista pensar numa justiça vingativa. A gente se esquece de que esse jovem vai voltar para a sociedade”.

Enderson Araújo, 24 anos, criador do coletivo Mídia Periférica e articulador de movimentos ligados à juventude negra, compartilhou sua experiência de preconceito e dividiu uma triste estatística. “O Brasil é o país que mais mata jovem no mundo.

Mata-se mais do que em zonas de guerra”, lembrou.
Quando o tema educação entrou em pauta, Bial questionou “que escola é essa que conversa com o jovem?”.

Dira Paes prontamente ponderou: “É preciso reaprender a ouvir nesse momento tecnológico em que tudo é muito rápido. Não dá para estar no século XXI e achar normais os moldes educacionais do século passado”.

Jornalistas conhecem detalhes da campanhaApós o debate, os mobilizadores receberam a imprensa para um bate papo sobre a campanha, ao lado de Beatriz Azeredo, diretora de Responsabilidade Social da Globo, Rafael Dragaud, diretor artístico do ‘Criança Esperança’, e Marlova Jovchelovitch Noleto, diretora da área programática da UNESCO.
No telão, os convidados puderam assistir, em primeira mão, aos filmes institucionais do ‘Criança Esperança’, em que os mobilizadores convidam as pessoas a participar da campanha.

Dira, Lázaro, Flavio e Leandra lembram que é preciso transformar o presente das crianças para que elas mesmas tenham condições de transformar o seu amanhã.
Nos dias 2 e 3 de julho, acontece o ‘Viradão da Esperança’, em que toda a programação estará voltada para a campanha, a partir do ‘Como Será?’, às 7h de sábado.

Ao longo de todo o fim de semana, elenco, influenciadores e esportistas farão parte do famoso ‘Mesão da Esperança’, quando todos se juntam à corrente de solidariedade e atendem às ligações dos doadores.
AtraçõesO primeiro dia do ‘Viradão da Esperança’ fica completo com um grande show transmitido ao vivo direto dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.

O espetáculo contará com apresentações musicais inusitadas dentro da temática jovem e será conduzido pelos quatro mobilizadores logo após ‘Velho Chico’. Entre as atrações, Luan Santana cantando uma canção inédita, composta especialmente para a campanha; Carlinhos Brown e crianças do ‘The Voice Kids’; Michel Teló, Marcelo Jeneci, Lucy Alves e Luan & Forró Estilizado interpretando um medley de sucessos de forró; Anitta fazendo uma releitura de “Perigosa”, sucesso das Frenéticas; Alcione em um número que promete emocionar o público com performance de ‘Rap da Felicidade’; Diogo Nogueira e Paula Fernandes; Mumuzinho e JP Rufino; Martinho da Vila e Sorriso Maroto; Chitãozinho & Xororó e banda Malta; Ana Carolina, entre outros.

Haverá também um número musical da ‘Escolinha do Professor Raimundo’ com nomes como Marcelo Adnet, Otaviano Costa, Evandro Mesquita, Lucio Mauro Filho, Fabiana Karla, Otávio Muller, Betty Gofman e Mateus Solano. Os números musicais serão entremeados por reportagens especiais reforçando a campanha.

No grande mesão das estrelas, com atores que atendem ligações dos doadores ao vivo, também haverá influenciadores digitais, atletas e outros representantes da sociedade.
No domingo, o elenco da Globo estará novamente à disposição do público, de plantão no atendimento das ligações.

Marcio Garcia apresentará, às 12h45, um compacto com os melhores momentos do show exibido na véspera.
#CRIESPerançaPara os conectados, a campanha tem muito conteúdo reservado para a web.

Os internautas podem, por exemplo, conferir no site www.criancaesperanca.

com.br vídeos com instituições já beneficiadas mostrando onde empregaram o dinheiro dos recursos.

Durante o show, no dia 2 de julho, o público acompanhará o que acontece nos bastidores pelas redes sociais da Globo, com entradas comandadas pelas estrelas da casa. E nos Estúdios Globo, um grande muro exibirá os tweets dos espectadores que estiverem postando sobre o evento.

.

Fonte: TV Foco