A primeira cena de sexo entre dois homens das novelas brasileiras terá um desfecho trágico. André, personagem de Caio Blat em “Liberdade, Liberdade”, será preso após beijar e transar com Tolentino (Ricardo Pereira).
No que está previsto para ir ao ar, Tolentino acabará se arrependendo de ter feito sexo com o amigo irmão de Joaquina (Andreia Horta) e tornará Gironda (Hanna Romanazzi) sua mulher.

Uma das prostitutas da vila, a jovem verá o coronel aos beijos com André e terá um surto: “Aquele maricas efeminado vai ter o que merece! Maldito! Bichona”, dirá.
A prostituta vai à Intendência e faz uma denúncia ao capitão que está de plantão: “Vi um homem… com outro… Um efeminado… um fanchono! Cometendo um crime! O pecado da… pederastia!… Tendo relações! Eu vi, com os meus próprios olhos… Dois homens, em pecado!…”.

“Pederastia… A lei não admite esse tipo de ato… É um crime! Um crime nefando! Vou tomar as devidas providências…”, diz ele. Logo depois, André sai da estalagem, ainda suado e ajeitando sua camisa.

Ele e Tolentino transaram. O Capitão, junto de outro dragão, o aborda e lhe dá voz de prisão.

.

Fonte: TV Foco