“Liberdade, Liberdade” sai de cena e entra para a história da teledramaturgia brasileira (Foto: Divulgação/Globo)O folhetim das 23h da Globo, “Liberdade, Liberdade”, chega ao fim na noite desta quinta-feira (04) com a missão cumprida. Fazendo exatamente jus ao título, a trama ousou e conquistou o público com sua liberdade.
Escrita por Mario Teixeira e com direção artística de Vinícius Coimbra, a novela contou a história de Joaquina, que depois de descobrir ser filha de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, fez de tudo para recuperar o que lhe era de direito e vingar sua família.

Muito além da história da filha de Tiradentes, a trama caracterizou-se pela dimensão dada aos folhetins do horário. Estes possuem como marcas a ousadia e a própria liberdade artística, seja na linguagem, nos temas e na forma como todas essas nuances são exibidas na tela.

No tocante aos temas, o folhetim debateu assuntos ainda muito presentes nos tempos modernos, embora seja ambientada no século XIX. Homossexualidade, pena de morte, machismo, racismo, violência contra a mulher e escravidão, entre outros.

EDIÇÃO ANTERIOR: Veneno de Fabíola Reipert segue em alta na Record

Nesse sentido, “Liberdade” cumpriu a missão de levar ao ar uma novela detentora de enredos bem construídos e executados, com cenários e figurinos de época impecáveis e atuações dignas dos atores globais. Destacam-se os nomes de Andreia Horta, Caio Blat, Ricardo Pereira, Mateus Solano, Nathalia Dill, Lilia Cabral e Maitê Proença.

Romance de André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) foi um dos destaques de “Liberdade” (Foto: Divulgação/Globo)Ademais, entra para a história da teledramaturgia nacional como a primeira novela da Globo a exibir uma cena de sexo/amor entre dois homens. Cena esta que dividiu opiniões entre os telespectadores, por chocar a ainda grande parcela conservadora, mas também por ser alvo de muitos aplausos pelo público fiel às linhas mais liberais.

Apesar das críticas, ressalta-se o brilhante trabalho de toda a equipe pela produção no geral. Levantou questões importantes, com a sensibilidade apurada e a qualidade necessária ao patamar.

Viva as tramas das 23h!
Críticas e/ou sugestões?
E-mail: danyllo@otvfoco.com.

br
Twitter da coluna e do colunista: @Ligado_na_TV | @JuniorDanyllo
As opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do TV Foco

.

Fonte: TV Foco