João Cotta/TV Globo Lilia Cabral como Virginia em “Liberdade, Liberdade” “Liberdade, Liberdade” é diferente de tudo que Lilia Cabral já fez como atriz. Quem afirma é a própria, em sua primeira novela de época como a cafetina Virgínia, que lhe exige muitas cenas na cidade cenográfica que reproduz nos Estúdios Globo a Vila Rica do início do século 19. Nada de ar-condicionado, portanto.

  “É um calor horroroso, tudo que possa imaginar. Mas, em compensação, a novela me leva para um mundo que jamais imaginei.

Quando entro no set, a minha vida parece muito distante. A minha realidade é aquela, grotesca, suja.

Isso tem sido importante para mim, principalmente porque sou fresca (risos). Estou tendo que me desconstruir, fico suada, Isso tudo é um teste para mim.

E estou me comportando muito bem”, brinca ela. A história do folhetim cativou tanto a intérprete, que ela aceitou o papel sem nem ler a sinopse.

Na trama de Mario Teixeira, a dona do bordel da cidade também pede uma sensualidade à flor da pele que a atriz não costuma mostrar na TV.
.

Fonte: Uol Televisão