Atual presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt falou sobre o estado de saúde do heptacampeão Michael Schumacher durante uma evento que celebrava a resistência da Sicília no que foi chamado de “La Targa Florio”, em Palermo, na Itália.
“Nós só podemos desejar o melhor para ele e sua família. Michael está lutando a maior batalha de sua vida.

Mas aqui não é o lugar para falarmos disso. Mas Michael faz parte da história do automobilismo e é aquele que ganhou mais de GPs e títulos mundiais”, afirmou Jean.

Mas o que causou mesmo foi a declaração de um dos neurocirurgiões que operou Schumacher.  “Ele não pesa mais do que 45 quilos e apenas um milagre pode mantê-lo vivo.

 Resta esperar. É uma questão de horas”, disse o médico ao site News Every Day.

Desde que Schumacher deixou o hospital para continuar sendo tratado em casa, junto da família, que se multiplicaram os rumores sobre o seu estado de saúde. Nada foi divulgado à imprensa ou aos fãs do ex-piloto de F1.

Ninguém sabe se ele voltou a se comunicar ou a andar. Todo o tratamento de Michael é feito a sete chaves.

.

Fonte: TV Foco