(Foto: Divulgação RedeTV!)O programa “É Notícia”, que vai ao ar na madrugada da segunda (20) para terça-feira, à 00h35, recebe o ministro da Defesa Raul Jungmann. Durante a entrevista, Jungmann conta para a apresentadora Amanda Klein que está disponibilizando 38 mil homens das Forças Armadas não apenas para o Rio de Janeiro, mas para todas as capitais que receberão jogos de futebol. Em relação à segurança das áreas mais “críticas”, como as favelas e morros do Rio de Janeiro, afirma que quem cuidará disso será a polícia.

Sobre a capacidade e preparação do Brasil caso venha a sofrer um ataque terrorista nas Olimpíadas, Raul Jungmann começa respondendo com números e diz que o país irá receber aproximadamente um milhão de turistas, 209 nações, 100 mandatários, 30 mil jornalistas, cerca de 12 mil atletas e que ao longo do evento calcula-se que 5 bilhões de pessoas irão assistir as os Jogos Olímpicos do Rio. E afirma que, para assegurar tudo isso, ele e todos da sua equipe estão em contato com as principais forças e sistemas de inteligência do mundo.

“Pela primeira vez em uma Olimpíada, teremos um centro internacional de investigações. Criamos um centro aonde vão estar lá aproximadamente 100 nações, ou seja, sistemas e representantes de inteligência de 100 nações”.

Quando perguntado sobre a chance em percentual de um ataque terrorista nos Jogos Olímpicos no Brasil, em agosto deste ano, o ministro da Defesa diz: “Está no terreno das possibilidades, não das probabilidades” e diz estar acompanhando tudo de perto: “tenho me dedicado, tenho focado uma boa parte do meu tempo, da minha atenção”.
Ainda sobre as Olimpíadas, Jungmann conta que lançará na próxima semana um satélite de baixa altitude, israelense, que irá revolucionar e ajudar no acompanhamento e monitoramento das fronteiras do Brasil.

Segundo ele, esse satélite veio para ajudar na segurança durante as Olimpíadas, mas pretende ampliar esse programa.
Raul Jungmann faz uma breve análise do Ministério da Defesa e o compara a uma Ferrari.

“Digo brincando que meu Ministério é uma Ferrari, porque lá efetivamente as coisas funcionam, a nossa dificuldade é o constrangimento fiscal, fruto da crise”.
Em relação ao deputado Eduardo Cunha, Raul Jungmann diz que Cunha deve ter seu mandato cassado, “já passa da hora de ser efetivamente afastado” e que ele “representou algo muito negativo” para a Câmara dos Deputados.

Com apresentação de Amanda Klein, o programa É Notícia vai ao ar na virada de segunda (20) para terça-feira (21), à 0h35, na RedeTV!

.

Fonte: TV Foco