Prestes a lançar seu primeiro livro Sou Dessas – Valesca Pronta Para o Combate, na próxima Bienal, dia 26, em São Paulo, Valesca disse em entrevista ao colunista Bruno Astuto, da revista Época, que pretende dar força para as mulheres se afirmarem a partir de exemplos das dificuldades e das conquistas que ela teve na vida.
A cantora de 37 anos destacou a passagem mais marcante do livro. “A dificuldade que minha mãe sofreu para me criar.

Das vezes em que ela dormia na rua, depois do trabalho, porque não podia entrar na comunidade de madrugada por causa da violência. Quando ela trabalhava na casa de uma família, a patroa queria que ela me desse, porque achava que ela não teria condições de me criar.

E estamos aí, firmes e fortes”, disse.

Valesca ainda destacou, que hoje, seu foco é outro.

“Não quero mais homem gritando gostosa para mim. Eu quero as mulheres comigo gritando pelo seu poder, colocando a voz pra fora, tirar isso que está entalado na garganta”, desabafa.

A cantora também disse, que mesmo caminhando com o pop, jamais pensa em apagar o “Popozuda” de seu nome. “Eu faço pop também, mas serei sempre funkeira.

Quer me chamar de MC? Me chama que eu adoro. A comunidade e o gueto nunca vão sair de mim, fazem parte da minha história”, conta.

.

Fonte: TV Foco