Cena da novela “Velho Chico” (Foto: Inácio Moraes/Gshow)Principal emissora de televisão do Brasil e patrocinadora dos Jogos Olímpicos, a Globo não exibe as competições esportivas do evento em seu horário nobre, entre 18h30 e 22h. Isso tem intrigado jornalistas estrangeiros, que vieram cobrir o mundial no Rio de Janeiro.
Sobre esse assunto, o jornalista Maurício Stycer, do UOL, falou no “CBC News Now”, programa matinal diário da rede CBC, do Canadá, e explicou que é por causa das novelas.

A emissora pediu a alteração de horários de partidas de voleibol, por exemplo, para exibi-las depois da novela das 21h.
Mas não é só ela que tem esses “privilégios”.

 A rede americana NBC conseguiu junto ao COI (Comitê Olímpico Internacional) a mudança do horário das finais de natação para às 22h. Diretora de desenvolvimento artístico da Globo, Mônica Albuquerque, explicou a situação.

Segundo ela, o Brasil “pararia” se a emissora suspendesse a exibição de novelas para mostrar competições esportivas. “É cultural.

É parte da vida. Não consigo imaginar o Brasil sem novelas”, disse ela.

No entanto, isso tem irritado alguns atletas, pois as competições chegam a terminar de madrugada.
Ao final da partida da seleção feminina de vôlei contra a Argentina, encerrada na madrugada desta terça-feira (9), a bicampeã olímpica Thaisa reclamou.

“É um horário ingrato com atleta. Agora, vai chegar que horas? Jantar, tomar banho até poder relaxar, adrenalina baixar e dormir, vai ser lá para madrugada”, disse.

“É complicado, horrível, para atleta é péssimo, mas as pessoas precisam pensar no lado do atleta, não só da mídia”, conclui a atleta.

.

Fonte: TV Foco