No ar como Rubião, em “Liberdade, Liberdade”, o ator Mateus Solano vem agitando a web com suas cenas quentes na trama. No primeiro capítulo da novela, o ator já apareceu fazendo sexo com a governanta de sua casa, Anita (Joana Solnado).
Para Solano, tais cenas são indispensáveis para a novela das onze.

Em entrevista ao Jornal “Extra”, o ator falou sobre o assunto: “O ideal seria que todas as novelas pudessem ter nudez e outras coisas. É claro que você não pode incitar a violência para o público infantil… Não é disso que estou falando! Mas, de alguma forma, a censura sufoca na novela das 11 tudo o que não pode ser visto antes.

Ah, não pode mostrar isso na novela das seis? Não pode na novela das sete e das nove? Então, na trama das 11, nós vamos conseguir! Aí bota cigarro, violência, sexo, isso, aquilo… O público perde. As outras produções estão irreais, não? O povo só toma suquinho? Cadê a cerveja, a sujeira, a verdade? Acho que “Liberdade, liberdade” traz a realidade.

Nada é apelativo”, disse.
Mateus também falou sobre o beijo gay entre Félix e Niko (Thiago Fragoso) no Peru, onde “Amor à vida” foi transmitida por uma emissora local no ano passado.

Na ocasião, a emissora mostrou um aviso, pedindo para que os pais retirassem as crianças da sala para não ver a cena: “Infelizmente, tenho a impressão de que estamos engatinhando em alguns lugares. Somos todos hipócritas mesmo.

O incrível é que esse mesmo canal de TV apresenta mulheres seminuas rebolando na cara das pessoas, à tarde. Cadê a vigilância em cima do machismo?”
Nos próximos capítulos de “Liberdade, liberdade”, Rubião sairá do cargo de intendente de Vila Rica e quem assumirá o posto é o Monsenhor Ega (Gabriel Braga Nunes), que vem para investigar a morte de Raposo (Dalton Vigh).

E para piorar a situação do galã, o seu substituto também se apaixona por Rosa (Andreia Horta):  “Acho muito difícil Rubião ser perdoado por qualquer um. Ficaria muito surpreso com isso.

Claro que as pessoas podem gostar do meu trabalho, admirar o que eu faço e tal, mas o personagem é ‘a-tudo’: amoral e por aí vai. Só o autor sabe sobre o futuro de Rubião!”, afirma Solano

.

Fonte: TV Foco