(Foto: AgNews)O pai do cantor Mc Beil, Sergio Rodrigues, resolveu se pronunciar sobre a acusação de que o funkeiro teria assediado uma repórter durante uma entrevista no dia 3 de maio. O veterano, em entrevista ao jornal “Extra”, defendeu o filho.
“Está tudo muito distorcido.

O que já tinha que ser dito, foi dito nos autos do inquérito. Agora, é aguardar a apuração jurídica.

Quanto à educação que a gente deu para ele, a gente não tem dúvida nenhuma do menino bom e exemplar que ele é. É muito triste as pessoas comprarem essa história de que meu filho é machista”, desabafou.

Apesar da indignação, Sergio acredita que os fatos serão esclarecidos e disse que as declarações que o cantor deu à jornalista são normais para um jovem de 20 anos de idade.
“Ele vai viver uma vida normal, apesar de ser um artista, ele é uma pessoa normal, que fala o que der na cabeça e brinca mesmo.

Se pegar mal, fazer o quê? É o jeito dele, brincalhão, extrovertido, uma criança de 20 anos ainda. Meu filho está triste, porque muita gente acredita nessa história.

Meu filho não tem maldade. Agora, falar que ‘as feministas’, os ‘machistas’… Não existe isso.

Qualquer moleque numa rodinha faz uma palhaçada dessa aí. Só que o momento que estamos vivendo hoje, esse assunto está em pauta, né?”, declarou.

Rodrigues alegou que a notícia foi armada pela jornalista. “O fato aconteceu no dia 3 de maio, e ela só foi fazer o boletim de ocorrência no dia 11, depois de oito dias.

Isso é coisa plantada mesmo para prejudicar o meu filho. Se realmente aconteceu o que ela diz, por que ela saiu, chorou no táxi, e não foi logo na delegacia? Por que ela esperou oito dias? Tinham vários outros jornalistas ali, e o que aconteceu foi uma piada.

Nunca criei meu filho com pensamento machista. Ele é apaixonado pela mãe e pela irmã.

Eu tenho mais de vinte sobrinhas, e ele respeita todas. Isso o que aconteceu é lamentável.


E completou: “Quem conhece o Bial sabe. É muito triste, você cria um filho, paga com dificuldades os estudos, o inglês, para, do nada, vir uma coisa besta dessa aí.

Agora, o fato é um só: quando for esclarecido, muita gente vai ter que engolir o julgamento. Isso não vai nem passar de inquérito, nem vai chegar na Justiça, porque não tem fundamento.

O meu filho não chegaria onde chegou se não fosse um menino bom”.

.

Fonte: TV Foco