“É de Casa” Desde que a Globo resolveu lançar o seu programa “É de Casa” confesso que tenho tido grande paciência e analisado com muita calma a atração. No entanto, passado alguns meses o programa ainda não conseguiu deixar claro qual o seu verdadeiro papel nas manhãs de sábados.
O fato é que a atração é ao vivo, emprega muita gente e isso é muito positivo para o mercado.

Mas é fato também, que o matinal virou uma espécie de “Malhação” de apresentadores da Globo. Sim, são 6 personalidades que ainda não possuem um espaço fixo na grade da emissora carioca, com exceção da Tiago Leifert e o “The Voice”.

Sim, é na n “Malhação” que a Globo faz sua escola de atores, mas é na mesma novela que a emissora coloca artistas que estão sem espaço em outros folhetins.
A Globo precisa entender qual é o objetivo do “É de Casa”, dar um proposito melhor para o programa e parar de levar como carro chefe pautas tão fracas, quando neste horário poderia entregar conteúdos mais ricos.

É obvio ainda que os apresentadores estão subaproveitados.
Aaron Tura
Facebook do colunista – Clique aqui
Instagram do colunista – Clique aqui
As opiniões aqui retratadas não refletem necessariamente a posição do TV Foco e são de total responsabilidade de seu idealizado

.

Fonte: TV Foco