Silvio Santos(Foto: Lourival Ribeiro/ SBT)O SBT admitiu que foi sondado pela Globo para fazer parceria na transmissão do Campeonato Brasileiro – após a saída da Band -, mas executivos da emissora querem mudanças no modelo de negociação atual.
Para voltar a ter partidas de futebol em sua programação, a emissora de Silvio Santos acredita que todo o modelo vigente para negociar os direitos de transmissão entre clubes e as redes de TV precisa ser modificado. Em entrevista ao jornal Folha de S.

Paulo, o vice-presidente do canal, José Roberto Maciel, e em ofício enviado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o SBT disse ter interesse em transmitir o Brasileirão, mas avalia que “o atual modelo não é sustentável.”
O SBT reclama do modelo de “exclusividade” atual, onde apenas uma única emissora (a Globo), que é detentora dos direitos de transmissão, exibe as partidas de sua escolha, e pede regulação que defina as regras do sublicenciamento, permitindo ao sublicenciado “utilizar e explorar o conteúdo em igualdade de condições que detentor principal dos direitos”.

Essa condição, inclusive, foi um dos motivos que ocasionou o fim da parceria da Band, que só podia levar ao ar o mesmo jogo que estava sendo exibido na Globo.
“O modelo de hoje não permite que novos ‘players’ participem.

Em qualquer lugar do mundo, o sublicenciado tem os mesmos direitos do principal detentor”, comentou Maciel, confirmando que o SBT foi sondado pela Globo para ocupar a vaga deixada pela Band, mas que não chegou a se tornar uma proposta oficial.
José Roberto Maciel, vice-presidente do SBTA rede de Silvio Santos também se queixa que atualmente a negociação de direitos de TV é realizada de forma individual, entre clube e emissora.

”Pegue o modelo da Liga dos Campeões. Há uma licitação com regras claras: os clubes apresentam requerimentos que atestam suas capacidades de transmissão, e depois passam à discussão de valores financeiros.

É um processo aberto, com regras claras”, explica Maciel, que completa. “No Brasil, isso não existe.

Hoje, há um processo que gera renovação praticamente automática dos direitos. É um processo puro de renovação”.

O vice-presidente do SBT ainda disse que o alto custo afastou a emissora do futebol. “O que afastou o SBT foram os altos custos de transmissão.

Não é uma decisão simples [voltar a exibir eventos esportivos]. A gente pondera que perdeu a tradição no futebol”.

Ainda de acordo com a publicação, ao Cade, órgão que investiga a disputa pelos direitos de transmissão, o SBT diz que também pensa em “campeonatos das série inferiores, nas modalidades femininas, nas categorias de base”, mas destaca que “sem ter como ofertar esse conteúdo em um contexto maior, que contemple os grandes campeonatos, não há como prosperar”.
Nos anos 1990, o SBT exibiu diversos torneios nacionais com frequência, e em 1995, teve uma das maiores audiências de sua história com a transmissão da final da “Copa do Brasil”.

.

Fonte: TV Foco