(Foto : Divulgação)No fim de novembro de 2014, o cantor Rodrigo Marim, de 25 anos, viu seu nome envolvido em uma encrenca com a qual ele não tinha nada a ver.
Fotos do sertanejo passaram a circular nas redes sociais e também em grupos de whatsapp, mas com um boato nada agradável: de que ele sequestrava e estuprava mulheres.
“Há uns dois anos, postei uma foto de manhã e, à tarde, ela estava rodando em tudo quanto era WhatsApp.

Um boato maldoso alertava para terem cuidado comigo, porque eu era um novo sequestrador em São Paulo, que pegava as meninas na rua e levava para o cativeiro. Fiquei desesperado, achei que isso iria acabar com minha carreira, ainda sem muita projeção , afirmou o artista em entrevista ao jornal Extra.

Nessa época, Rodrigo já fazia shows na região de Campinas e Jundiaí, interior paulista. Com o episódio, curiosamente, o número de seguidores do artista sertanejo nas redes sociais começou a crescer exponencialmente (hoje, já são 2,3 milhões no Facebook, 43,7 mil no Twitter e 610 mil no Instagram) e ele virou alvo de tiradas bem-humoradas das fãs, que começaram a pedir para serem raptadas.

De problemática, a repercussão tornou-se benéfica para sua carreira:
“Fiz show até fora do país! Na Europa, a mulherada toda esperava pelo “Sequestrador”. Sabe aquele ditado que diz “Se não pode vencê-los, junte-se a eles”? Foi o que fiz.

Adotei a ideia, gravei uma música com o tema e, desde então, em todo show tem fã jogando calcinha e sutiã no palco, com cartaz pedindo que eu a “sequestre”. Às vezes, eu obedeço”, admite.

Em recente entrevista ao Ego, o sertanejo conta que gosta do assédio: “Receber o carinho do público me realiza e me diverte, era tudo o que sonhava para a minha vida.” Para a alegria da mulherada, o cantor dá algumas dicas do que uma pretendente precisa ter para conquistá-lo: “Me amar do jeito que sou, me amar e apoiar o que mais amo fazer, que é ser cantor.

” E o sertanejo diz ainda que ficaria com uma fã: “Eu não pego, sequestro”, brinca.

.

Fonte: TV Foco