(Foto: Globo/Paulo Belote)A novela “Totalmente Demais” está na sua reta final, mas ainda promete muitas emoções nos próximos capítulos. Carolina (Juliana Paes) finalmente realizará o seu sonho de ser mãe, mas ficará em choque ao descobrir que a criança que quer adotar é soropositiva.
Ela fará visitar a um orfanato e vai gostar de um garoto de 7 anos, Gabriel, mas a adoção poderá não acontecer, pois ela está sendo processada por Eliza (Marina Ruy Barbosa).

Diante disso, Carolina implora para que ela retire a ação, mas será tarde demais. Mas não é o fim.

“Gabriel, nome de anjo. E é o que ele é.

Mas, porque eu tô sendo processada por você, Eliza, o orfanato não vai me dar um parecer favorável e a adoção vai ser negada. Essa é a única chance que eu tenho de ser mãe.

E agora que eu encontrei o Gabriel, um menino incrível, especial. Não tira meu filho de mim, Eliza.

Por favor!”, suplicará Carolina.
Eliza se comove com a história e procurará seu advogado, mas ele afirmará que a audiência está marcada e que somente é possível fazer um acordo extrajudicial pelos danos morais, mas a jornalista terá de ser julgada por seus crimes.

“Eu apresento um acordo extrajudicial entre vocês, a senhora Carolina aceita pagar uma indenização. O problema é que não temos mais o que fazer na esfera criminal.

A Eliza processou a senhora por lesão corporal, injúria e difamação. São crimes que precisam ser julgados”, falará o advogado
Em conversa com Dorinha (Samantha Schmütz), Carolina declara: “Eu não posso ficar aqui, derrotada, chorando pelos cantos.

Eu sou uma batalhadora, mana. Eu vou lutar pelo Gabriel.

Mesmo que o juiz não me deixe adotar, eu vou visitar aquele menino todo dia se deixarem”.
Depois disso, a assistente social fará a revelação de que ele tem HIV.

 “Eu arrisquei meu emprego, mas não me arrependo. Eu não escrevi essa informação na ficha do Gabriel pra não acabar com as poucas chances que ele tinha de conseguir um lar”, dirá a assistente social, ao dizer a doença dele.

Carol fica em choque e diz que precisa pensar. “Eu falei a verdade.

Mas se você se mostrar disposta a adotar o Gabriel, sabendo da sua condição, o juiz pode se sensibilizar. Só 3% dos candidatos aceitam crianças com HIV.

Tem uma lei que pode acelerar e facilitar a adoção nesses casos”, explica a profissional.
“O juiz sabe que se o Gabriel perder a chance que ele tem com você, provavelmente não vai conseguir sair desse orfanato antes dos 18 anos”, explicará a funcionária, e Carolina aceita: “Ele é a melhor coisa que aconteceu na minha vida.

O que eu mais quero é que ele seja meu filho!”.

.

Fonte: TV Foco