Aguinaldo Silva e algumas de suas novelas. Foto: montagem.Aguinaldo Silva, um dos mais consagrados autores de dramaturgia, em especial teledramaturgia desse país de todos os tempos, já se preocupa e se antecipa ao seu novo folhetim das nove, apesar de o mesmo só estar previsto para 2018.

Muito comunicativo em suas redes sociais, o autor comenta: “Vim para Lisboa com este objetivo: escrever uma sinopse com vistas a uma futura novela das 21 horas. Escrever, não: reescrever.

Pois sinopse eu já tenho; e ela surgiu durante minha Master Class 4, com a colaboração de 26 alunos”.
O  seu novo folhetim já tem nome provisório, que é “O Sétimo Guardião”.

Sobre a Master Class, o veterano explica: “A Master Class, para quem não sabe, é um curso prático e intensivo destinado a futuros telenovelistas que dou de vez em quando.  A sinopse que estou reescrevendo tem uma novidade.

Marca a minha volta ao universo dito “rural” e mágico, que eu tinha trocado, desde “Senhora do Destino”, pelas tramas urbanas e cariocas”,  adianta Silva, sobre  novidades a respeito do seu próximo trabalho.
Sobre a nova novela, ele ainda comenta: “Volto àquele mundinho no qual tudo é possível, desde que o espectador, acredite em minhas histórias e meus personagens, e ache junto com eles que o impossível, por mais absurdo que pareça, pode acontecer”.

Ele se revela feliz por abordar novamente, sob um ponto de vista bem particular e surreal, uma nova trama, estilo esse, que ele havia deixado de lado desde “A Indomada”, de 1998: “De volta ao mundo mágico, pois. Mas acho que nessa minha volta ao universo de “Tieta”, “Pedra Sobre Pedra”, “Fera Ferida” e a “Indomada” nem estou sendo original.

Afinal, das novelas que estão no ar,  “Velho Chico” é uma história rural, e “Liberdade Liberdade” uma história de época. E isso significa que, talvez, depois de um longo período de “modernidade”, pelo menos no que diz respeito à telenovela estamos voltando aos bons e velhos tempos, o que,pelo menos para mim, é muito bom”.

.

Fonte: TV Foco