Com atuação irretocável e direito a gol mais rápido da história dos Jogos Olímpicos, o Brasil atropelou Honduras por 6 a 0, nesta quarta-feira (17) no Maracanã, se classificando à final da Rio 2016, na qual voltará a disputar o tão sonhado e inédito ouro.

Há alguns anos, um confronto contra Honduras sempre significaria vitória brasileira de goleada, mas, com o declínio recente da seleção, todo jogo, por menor a tradição no futebol do adversário, é de deixar o torcedor com um pé atrás.

Para piorar, a equipe hondurenha, treinada pelo colombiano Jorge Luis Pinto, que levou a Costa Rica às quartas de final do Mundial-2014, vinha mostrando qualidade no torneio olímpico, sendo responsável inclusive pela eliminação da tradicional Argentina na fase de grupos.

Nesta quarta-feira (17), porém, a equipe olímpica do Brasil fez o Maracanã voltar a sonhar, após seguidas desilusões e uma sentida ausência na final da Copa do Mundo de 2014, devido à triste eliminação nas semifinais diante da Alemanha, privando o estádio mais charmoso do mundo de ver a seleção na decisão.

Em atuação de gala do quarteto ofensivo do técnico Rogério Micale, o Brasil selou a classificação à final da Rio 2016 com sonora goleada e direito a gol mais rápido da história dos Jogos Olímpicos, marcado por Neymar aos 14 segundos.

Ainda no primeiro tempo, Gabriel Jesus marcou duas vezes, aos 25 e 33 minutos, dando vantagem confortável para os comandados de Micale no intervalo.

Na segunda etapa, com a classificação assegurada e o adversário entregue em campo, nem foi preciso forçar muito para transformar a vitória em goleada e o zagueiro Marquinhos fez o quarto gol aos 4 minutos, aproveitando bola que sobrou na área após cobrança de escanteio de Neymar. O quinto foi de Luan, tocando para as redes cruzamento rasteiro de Felipe Anderson, aos 33.

Para fechar com chave de ouro, Neymar, que abriu o placar com o gol mais rápido do Jogos, selou a goleada nos acréscimos, de pênalti.

O espetáculo apresentado pela seleção empolgou a torcida no Maracanã, que, ao som do apito final, já deixava claro quem gostaria de enfrentar na decisão pelo ouro olímpico: “O Alemanha, pode esperar, a sua hora vai chegar!”, de olho em vingar a maior derrota da história do futebol brasileiro.

Os torcedores, porém, terão que esperar para saber o adversário do Brasil na final. Poderá ser a desejada Alemanha, mas os atuais campeões do mundo precisão passar pela Nigéria na outra semifinal, que será disputada ainda nesta quarta-feira na Arena Corinthians.

AFP/OTempo