REGRA 1 – O campo de jogoREGRA 3 – OS JOGADORESREGRA 5 – O ÁRBITROREGRA 8 – O INÍCIO E REINÍCIO DE JOGOREGRA 10 – DETERMINANDO O RESULTADO DA PARTIDAREGRA 11 – IMPEDIMENTOREGRA 12 – FALTAS E INCORREÇÕESREGRA 14 – O TIRO PENALREGRA 15 – O ARREMESSO LATERALREGRA 16 – O TIRO DE METAREGRA 17 – O TIRO DE CANTO O atacante do seu time entra na área adversária, livre, e
sofre a falta do goleiro. O árbitro marca pênalti, mas dá só amarelo para o
infrator. Você reclamaria e pediria o vermelho? A partir desta sexta, é bom ter
cuidado na reclamação.

A CBF resolveu se antecipar e vai adotar, em todas as
competições nacionais, as mudanças nas regras do futebol impostas pela da
International Board (Ifab). Uma delas se refere justamente à punição em caso de
faltas feitas em situações claras de gol.

 

> Clique AQUI e confira todas as mudanças nas regras do futebol> CBF planeja ter quadro nacional próprio de árbitros e assistentes> Olho no apito: CBF usará software em análise de desempenho dos árbitrosDe todas as 17 leis que regulam o esporte, a única que não
sofreu alterações foi a regra 2: “a bola”. A maioria se trata de pequenas
adequações no texto que o tornam menos suscetível a diferentes interpretações.

No entanto, há uma série de pequenas modificações. As mudanças valem
oficialmente apenas a partir de junho, mas como as Séries A e B se iniciam
neste mês, a CBF resolveu se antecipar.

Desde o último dia 9, a entidade cumpre
um cronograma com palestras e treinamentos em todos os estados com a ajuda das
federações. A Copa do Brasil só passará a ter as alterações após a Copa América
Centenário.

 

– O mundo vai passar a usar em junho, quando começa a
temporada na Europa, se não nos adequássemos, o Brasil ficaria oito meses
atrasado. Já vamos adotar no início nas Séries A e B.

Supondo que iniciássemos com
as regras antigas, as Séries C e D teriam que ser na nova. Então teríamos
árbitros apitando de um jeito na A e B, e na C e D tendo que apitar com as
novas regras.

Portanto, foi consenso que já nos antecipássemos – analisou o
presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa.

 

O mundo vai passar a usar em junho, quando começa a
temporada na Europa, se não nos adequássemos, o Brasil ficaria oito meses
atrasado”O diretor técnico da Escola Nacional de Arbitragem (Enaf),
Manoel Serapião Filho, foi responsável por sugestões acatadas pela Ifab na
reformulação das regras.

Dentre elas, estão a possibilidade de expulsão antes
do apito inicial, a saída de bola em qualquer direção no início de jogo e a
cobrança de impedimento no local onde o atleta impedido recebe a bola. Apesar
de discordar de algumas intervenções da International Board, Serapião acredita
que as mudanças foram positivas.

 

 

– Achei as mudanças muito válidas, mas em alguns pontos
precisam ajustes e serão ajustados. Todo dia a gente está alterando
gradativamente.

Foi uma iniciativa grande essa reestruturação, a maior que teve.
Foi muito positiva.

Eu confesso que não parei para analisar todas as
consequências, mas há pontos muito positivos, como valorização da falta mais
grave, a marcação da falta fora de campo, a cobrança do impedimento onde o jogador
está, são muito positivas – analisa o diretor, que é autor do projeto que
dispõe sobre o uso de vídeo no futebol e será usado no futebol brasileiro até o
ano que vem.

 

No entendimento de Serapião e Sérgio Corrêa, a novidade mais
impactante está na regra 12, que diz respeito justamente à aplicação de cartões
em faltas cometidas dentro da área em jogadas com oportunidades claras de gol.

Na nova redação, o cartão vermelho deve ser usado apenas se a falta for de
segurar, puxar ou empurrar.  

 

Confira as principais mudanças com alguns comentários de
Manoel Serapião:

 
01REGRA 1 – O campo de jogo
Toda publicidade comercial no campo deverá ficar ao menos 1m
das linhas do campo.

São permitidos logotipos/emblemas de associações de futebol,
competições etc. nas bandeiras de tiro de canto (mas não publicidade).

 

01REGRA 3 – OS JOGADORESTiro livre direto ou tiro penal: se um substituto, ou integrante
da equipe, ou jogador expulso interferir na jogada. (no vídeo abaixo, lance de Tupi-MG x Aparecidense, pela Série D de 2013, no qual o massagista da equipe goiana evitou gol dos mineiros.

Na regra alterada, seria dado pênalti ao Tupi-MG)Manoel Serapião: – Parece justo, mas você sai do campo do futebol. Seria um “pênalti de
massagista”.

Do ponto de vista humano, sim, é justo. Mas eu realmente acho que sai da
esfera do campo.

Não faz nenhum sentido. Deixa de ser futebol.

Futebol é dentro de campo, com os 22 em campo.  Após a lista da equipe ter sido entregue, mas antes do
pontapé inicial, um jogador titular expulso poderá ser substituído por um
substituto inscrito (Esse substituto não poderá ser substituído; a
equipe ainda poderá realizar o número completo de substituições, conforme as
regras atuais)Se algo ou alguém (além de um jogador) tocar na bola que estiver
entrando no gol, o árbitro validará o gol se a bola entrar no gol e o toque não
tiver causa do impacto nos defensores (salvo no gol dos adversários).

Se um gol for marcado com uma pessoa extra no campo e o
árbitro tiver reiniciado a partida, o gol será validado e a partida
prosseguirá. Manoel Serapião: – Aqui, além das mudanças no texto, houve a mudança no nome
da regra.

Antes, eram “números dos jogadores”. Agora, até por sugestão nossa, é
apenas “jogadores”, porque a regra é mais abrangente.

 
01REGRA 5 – O ÁRBITRO
O árbitro não poderá mudar uma decisão quando o jogo já
tiver sido reiniciado ou quando já tiver deixado o campo de jogo após o término
da primeira etapa. Se ocorrerem mais de uma infração ao mesmo tempo, a mais
grave será a punida.

O árbitro pode expulsar um jogador a partir do momento em
que entra em campo para a inspeção pré-jogo do campo. (um caso famoso na qual a regra acima poderia ser empregada ocorreu em 2005.

Em jogo entre Arsenal e Mancester United, Roy Keane e Patrick Viera discutiram no túnel de acesso ao gramado de Highbury)O árbitro só poderá usar cartão vermelho ou cartão amarelo
após entrar no campo de jogo para o início da partida. O jogador lesionado após receber uma falta punida com cartão
vermelho ou amarelo pode ser rapidamente avaliado/tratado no campo
e não precisa sair do campo.

Manoel Serapião: – Aqui há outra sugestão nossa. Antes, se ocorressem duas
infrações simultaneamente, independentemente da natureza da falta, era bola ao
solo.

Agora vamos valorizar a falta mais grave. Se houver uma falta para cartão
amarelo, e na sequência uma para vermelho, a mais grave será marcada, e assim
em qualquer situação.

01REGRA 8 – O INÍCIO E REINÍCIO DE JOGOA bola deve mover-se claramente para entrar em jogo em todo
chute para reiniciar o jogo. A bola poderá ser chutada em qualquer direção no pontapé
inicial.

Manoel Serapião: – Essa é outra contribuição nossa. A regra estava limitando
a forma de jogar do jogador no pontapé inicial.

01REGRA 10 – DETERMINANDO O RESULTADO DA PARTIDAUm jogador temporariamente fora de campo (lesionado, por
exemplo) no fim de jogo poderá participar das cobranças de pênaltis.

 01REGRA 11 – IMPEDIMENTOO tiro livre por impedimento é executado do local onde a
infração se caracteriza, inclusive na própria metade do campo.

 

01REGRA 12 – FALTAS E INCORREÇÕESOfensa (infração) com contato físico contra substitutos, oficiais
da equipe, árbitros, etc, passa a ser tiro livre direto. Falta fora de campo como parte do jogo normal será punida com
tiro livre direto, sobre a linha que delimita o campo de jogo, no ponto mais próximo
da infração, tiro penal se a falta ocorrer nos limites da área penal do infrator.

(no vídeo abaixo, lance de Robinho, pelo Santos, contra a Portuguesa no Paulistão 2015. Na ocasião, o atacante tentou drible passando por fora da área e foi derrubado.

O árbitro deu o pênalti, mas descumpriu a regra. Hoje, sua decisão seria acertada) Manoel Serapião: – Essa alteração, também sugestão nossa, era necessária.

A
falta ocorrida fora do campo de jogo, quando jogador está disputando a bola, é
punida no ponto mais próximo. Era bola ao solo.

Agora é tiro livre direto.  Quando um jogador impedir um gol ou uma clara oportunidade
de gol da equipe adversária com falta de mão deliberada, o jogador deve ser
expulso onde quer que a falta ocorra.

Quando um jogador cometer uma falta contra um adversário,
dentro da própria área penal, que impedir um gol ou uma clara oportunidade de
gol do adversário, e o árbitro conceder um tiro penal, o jogador infrator será
advertido com cartão amarelo, salvo se:- A falta for de segurar, puxar ou empurrar;- O jogador infrator não tentar jogar a bola, ou quando não
houver possibilidade de jogar a bola; ou- A falta for punível só com cartão vermelho, independente
da parte do campo em que ocorra (ex: falta grave, conduta violenta, etc. .

. ).

(no vídeo abaixo, lance Palmeiras 2 x 2 Corinthians, pelo Brasileirão 2009. Jorge Henrique é lançado na área, sozinho, derrubado por Marcos, que é expulso.

Na nova regra, o goleiro palmeirense não seria expulso) Manoel Serapião: – Na regra atual, quando corto uma jogada clara de gol dentro
da área com falta, seria expulso. Agora eu só vou ser expulso se minha falta
for nessas situações.

Mas se der falta tentando disputar a bola, mesmo em
situação clara e manifesta de gol, é amarelo. Essa é somente para pênaltis, situações
dentro da área.

Fora da área, a punição continua sendo a expulsão, porque a
equipe que sofre a falta não tem o tiro penal como contrapartida.

 01REGRA 14 – O TIRO PENALDeclaração clara de quando um tiro penal (TP) termina/se completa.

Algumas infrações sempre serão punidas com um Tiro Livre Indireto
(TLI), independentemente de o TP resultar ou não em gol:- TLI se jogador não identificado cobrar o pênalti deliberadamente
(cartão amarelo ao jogador que chutou);- TLI se a bola for chutada para trás;- Se ocorrer finta “ilegal” será sempre TLI (CA para jogador
que cobrou o pênalti);- Se o goleiro infringir a regra e o TP for perdido, o TP será
repetido e o goleiro receberá CA.

Manoel Serapião: – Se o jogador fizer uma finta, não é o que chamamos paradinha, porque
criamos nome diferente.

Pode ocorrer a paradinha se não houver finta. O
que não pode é, depois que o jogador botar seu pé de apoio para bater o
penal, se ele fizer ameaça, e em seguida bater na bola, já é tiro livre
indireto contra sua equipe, quer a bola entre, quer a bola não entre, e
cartão amarelo contra o jogador(no vídeo abaixo, Neymar, pelo Santos, contra o São Paulo, faz a chamada “finta” em pênalti: coloca o pé de apoio, faz a paradinha, e cobra a penalidade.

Na ocasião, foi validado o gol, em jogo válido pelo Paulistão 2010. Na regra atual, seria dado tiro livre indireto contra o Santos, e o atacante levaria o cartão amarelo) 01REGRA 15 – O ARREMESSO LATERALA nova redação esclarece que a bola deve ser arremessada com
ambas as mãos.

 

01REGRA 16 – O TIRO DE METASe a bola entrar diretamente no gol da equipe que cobrou o tiro
de meta, será marcado um tiro de canto contra essa equipe. (no vídeo abaixo, do programa “Bem, Amigos” de 2011, o comentarista Arnaldo Cezar Coelho exemplifica o caso exposto pela regra acima) Um adversário que estiver dentro da área de penal no momento
da cobrança de um tiro de meta não poderá jogar a bola antes de haver um toque em
outro jogador.

Manoel Serapião: – Isso já tinha, mas só ficou mais claro. Qual era a
filosofia? Quando você é beneficiado com o reinício de jogo, você não pode
sofrer prejuízo.

 01REGRA 17 – O TIRO DE CANTOSe a bola, após um tiro de canto, entrar diretamente no gol do
próprio jogador que a chutou, será marcado um tiro de canto a favor da equipe adversária. Manoel Serapião: – Esse tipo de ajuste é necessário porque o mundo é muito
grande e a diversidade intelectual maior ainda, quanto mais claro deixar,
melhor.

.

Fonte: Globo Esporte