O torcedor do Atlético-MG vive pedindo a escalação do meia Cazares no time titular. O técnico da equipe, o uruguaio Diego Aguirre, entretanto, não tem correspondido ao apelo dos atleticanos nos últimos jogos. Em entrevista ao “Seleção SporTV”, o treinador justificou a opção à qualidade do elenco atleticano, e não confirmou o xodó da torcida entre os onze iniciais na partida contra o São Paulo, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Morumbi, pelo jogo de ida das quartas-de-final da Taça Libertadores da América.

 – Sempre que não escalo alguém pedem para eu escalar novamente (risos). Quem está de fora é sempre quem o torcedor quer e isso é normal, faz parte.

No dia que eu puder colocar no time mais de 11 jogadores, eu terei mais opções. A verdade é que tanto Cazares como os outros jogadores estão tentando ganhar um lugar no time.

Temos um elenco muito bom, opções excelentes e para que um jogue, outro tem que ficar no banco. O importante é que estejam prontos para na hora em que forem escalados, ajudarem o time – disse.

Cazares comemora gol do Atlético-MG no Independência (Foto: Divulgação/Atlético-MG)Aguirre também procurou rechaçar problemas de comportamento de Cazares. Além disso, declarou achar “natural” que um jogador estrangeiro demore um pouco mais a se adaptar, apesar de garantir que o meia está totalmente a vontade.

– Não acho. É uma vida nova, um país novo, acho que é normal que um jogador demore mais a se adaptar.

Sobre problemas de comportamento, não tenho nada a declarar. Mesmo que existisse, trataríamos internamente, mas não é isso.

Ele está à vontade, trabalhando, procurando seu lugar no time, tem jogado muitos jogos, tem tido oportunidades, não é que não venha tendo chances. Na mesma posição, temos Dátolo, Robinho, são jogadores excelentes.

Como falei, para que um jogador jogue, outro tem que ficar no banco – lembrou.Por fim, ao ver uma escalação do Atlético-MG com a presença do equatoriano no meio de campo, o técnico sorriu.

O setor enfrenta grande concorrência por uma vaga entre a trinca de volantes – Leandro Donizete, Rafael Carioca e Júnior Urso – e a dupla de ataque Robinho e Pratto. Dátolo, Carlos Eduardo, Patric, Clayton e Hyuri são as outras opções do treinador uruguaio.

– Estão no caminho certo (risos) – comentou.
.

Fonte: Globo Esporte