Ainda sem ter definido o futuro, já que não faz parte dos planos do Jiangsu Suning, da China, clube com quem tem contrato até o fim deste ano, o atacante Jô apareceu na Cidade do Galo nesta quinta-feira para fazer uma visita ao ex-clube e rever companheiros da época em que vestiu a camisa alvinegra. E, na chegada a Belo Horizonte, o jogador disse que ouviu de torcedores o pedido para voltar a vestir a camisa do Galo. Em entrevista à TV Galo, entretanto, Jô afirmou que pensa em voltar a vestir a camisa atleticana, mas não agora.

– A história que tive aqui foi muito grande, então neste período que estou aqui de férias, sempre encontro atleticanos, na minha chegada hoje muitos pediram a minha volta. E na minha chegada ao clube, revi funcionários e jogadores.

A gente sempre pensa em voltar, não tem como não pensar. Deixo nas mãos de Deus, quem sabe mais para frente eu esteja voltando para vestir essa camisa maravilhosa.

 A gente sempre pensa em voltar, não tem como não pensar. Deixo nas mãos
de Deus, quem sabe mais para frente eu esteja voltando para vestir essa
camisa maravilhosa.


chegou ao Atlético-MG em maio de 2012, depois de ser afastado pelo
Internacional por problemas disciplinares, sendo vice-campeão brasileiro pelo clube mineiro. Em 2013 foi
artilheiro da Libertadores conquistada pelo Galo.

As boas atuações fizeram com que Luiz Felipe Scolari, então técnico da seleção
brasileira, o convocasse para disputar a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014. No retorno ao Galo, o atacante, que já vinha em
baixa com a saída de Ronaldinho, voltou a ter problemas
disciplinares.

Alegando problemas familiares, o jogador faltou a alguns
treinos e, em meio a um jejum de gols, acabou perdendo espaço. No ano passado, o atacante se redimiu ao marcar o gol que garantiu o título do Campeonato
Mineiro, contra a Caldense (relembre aquela final no vídeo abaixo).

No Atlético-MG,
ele disputou 127 jogos e marcou 39 gols. Conquistou os Campeonatos
Mineiros de 2013 e 2015, a Copa Libertadores da
América de 2013 e a Recopa Sul-Americana de 2014.

Em julho, foi vendido ao Al-Shabab dos Emirados Árabes por três milhões de euros (R$ 10, 4 milhões,
aproximadamente), com o Atlético-MG
recebendo 50% do total. Pouco tempo depois, por R$ 7 milhões, acertou com o Jiangsu Suning, da China, pelo qual disputou 26 jogos, marcando 11 gols.

Na janela de meio do ano, o brasileiro perdeu espaço com a contratação do atacante colombiano Roger Martínez, que atuava pelo Racing, pelo valor de € 8,9 milhões (R$ 32 milhões). Com isso, o clube ultrapassou as vagas para jogadores estrangeiros: cada time, pode ter quatro atletas de outras nacionalidades, mais um asiático.

.

Fonte: Globo Esporte