Minas Gerais tem novo dono. É o América-MG, de Givanildo
Oliveira, João Ricardo, Danilo e cia. O Coelho combateu o favoritismo do
Atlético-MG e saiu do Mineirão com o título de campeão mineiro de 2016.O empate em 1 a 1 foi um resultado que serviu para os americanos festejarem no “salão de
festas” do Galo.Uma final digna do futebol mineiro.

Chances de gols, drama até o fim, expulsões e, claro, gols. Clayton chegou a colocar o Atlético-MG com a mão no título.

Mas o torcedor atleticano vai sonhar, ou melhor, ter pesadelo
com Danilo, autor dos três gols americanos nas duas decisões finais.Resta ao Galo voltar às atenções para a Libertadores.

Na quarta-feira, o São Paulo é o adversário nas quartas de final da competição. O
jogo será no Morumbi.

Já o Coelho foca em entrar motivado no Brasileirão, uma vez que o time está de volta à elite do futebol brasileiro.A proposta de jogo do América-MG era esperada.

Se fechar na defesa e sair no contragolpe. Chegou a assustar o goleiro Victor em um lance
isolado no primeiro tempo, com Victor Rangel, que arriscou uma bicicleta e o
arqueiro atleticano fez bela defesa.

Com a postura do time de Givanildo definida, o Atlético-MG
foi dono das ações. Perdeu boas chances e envolvia o rival, porém, pecava nas
finalizações.

Mas pecado mesmo quem cometeu foi o zagueiro Tiago, que substituía Leonardo Silva, poupado por conta do desgaste. Já amarelado, dominou errado uma bola e teve que fazer falta em Victor Rangel.

Expulso no final do
primeiro tempo.Mais emoçãoEmpurrado por quase 50 mil vozes, o Atlético-MG se
superou no segundo tempo e sufocou o América-MG.

Aguirre colocou Robinho na vaga de Hyuri. Clayton já havia entrado no primeiro tempo, no lugar de Carlos, que reclamou de dores no pé direito.

O treinador atleticano arriscou tudo. Improvisou Carlos César de zagueiro para não queimar uma última substituição.

Robinho, que havia jogado mal contra o Racing, se redimiu. Colocou Pratto na cara do gol, que driblou o zagueiro e chutou.

O brilhante João Ricardo defendeu, mas Clayton apareceu para tocar para o fundo das redes. Com o gol, o Galo se fechou.

Aguirre colocou Edcarlos na vaga de Carlos César e recompôs a defesa.

Givanildo mandou o Coelho para o ataque: colocou Borges, Tiago Luis e Jonas.

Só que Alisson complicou a vida
americana ao ser expulso. Mas parecia que quem tinha um jogador expulso marcaria um
gol.

E Danilo, que havia marcado dois no jogo de ida, empatou em mais um chute
cruzado. A bola bateu na trave antes de entrar, aos 38 minutos (veja no vídeo abaixo).

O jogo ficou dramático. O Atlético-MG foi todo para cima e o
América-MG se segurou como pôde.

Ao fim, a maioria da torcida atleticana
aplaudiu o time: os jogadores foram saudados ao deixarem o gramado. Já os
americanos, exaustos, vibraram como nunca com a pequena, mas barulhenta
torcida.