Há mais de um ano e meio em Belo Horizonte, Lucas Pratto terá uma sensação diferente após o próximo jogo do Atlético-MG. Convocado pela primeira vez para defender a Argentina, ele deixará a delegação alvinegra após o jogo contra o Grêmio e seguirá para Buenos Aires, onde se apresenta ao técnico Edgardo Bauza para os jogos contra Uruguai e Venezuela nos dias 1º e 6 de setembro.Apesar da proximidade com a apresentação para a primeira vez pela seleção argentina, Pratto garante foco total no Galo, pelo menos até o fim da partida deste domingo, às 16h (de Brasília), contra o Grêmio, na Arena do Grêmio.

+ Victor e Marcos Rocha são vetados contra o Grêmio, mas Carioca viaja+ Com desfalques e dúvida de Carioca, Marcelo admite improvisar no Sul- Primeira vez para mim, então é tudo novo. A verdade é que tento manter o foco.

Até segunda-feira sou Galo e só vou pensar na seleção depois do jogo. Até domingo, 18h ou 19h, não penso nisso, porque temos um jogo muito importante e meu foco é no Atlético-MG até lá.

O momento do time sempre é importante. São muitos jogadores estrangeiros, e nós estamos nos adaptando.

Contratado pelo Galo no início de 2015, o atacante argentino já está adaptado ao futebol brasileiro, mas ainda encontra um pouco de dificuldade em relação a cultura. Como exemplo, ele citou o conterrâneo Ábila, do Cruzeiro, que demorou a se adaptar, mas quando o time se encaixou, começou a fazer gols.

Pratto ainda analisou o ano alvinegro, ao qual considerou bom até aqui.- A cultura é um pouco mais difícil, e a Liga depende muito do momento do time.

Ramon (Ábila) chegou com o Cruzeiro não jogando bem, depois chegaram outros atacantes, e o time melhorou. O momento do time sempre é importante.

São muitos jogadores estrangeiros, e nós estamos nos adaptando. É um clube que está muito bem nos últimos três ou quatro anos.

Ano passado foi bom, e este ano está sendo bom também. Não ganhamos o Mineiro, acabando sendo eliminados na Libertadores, mas o time é vice-líder e devemos brigar pelo título até o final do ano.

Se o time jogar mal, vai ser mais difícil de adaptar – completou Lucas Pratto.
.

Fonte: Globo Esporte