Definitivamente, a Copa do Brasil é outra competição. Atlético-MG e Ponte Preta provaram isso no empate em 1 a 1, no Mineirão, nesta quarta-feira, pelas oitavas de final. O futebol demonstrado por ambas as equipes nem de longe lembrou as campanhas do Galo e da Macaca, que brigam na parte de cima da tabela do Brasileirão.

Os gols de Roger, para a Ponte Preta, e Robinho, para o Atlético-MG, deixaram os visitantes mais felizes, já que entram classificados na partida de volta, em Campinas, dia 21 de setembro. O gol marcado fora de casa é critério de desempate.

No segundo jogo do confronto, a Ponte Preta garante vaga com empate sem gols. Empate com mais de um gol para cada lado dá a vaga ao Atlético-MG.

Se alguém vencer, também passa de fase. As equipes voltam a campo no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro.

No sábado, a Macaca encara o Corinthians, às 16h (de Brasília), no Moisés Lucarelli. Já o Galo visita o Grêmio, domingo, às 16h, em Porto Alegre, em confronto direto pelas primeiras posições na competição nacional.

>>> CONFIRA COMO FOI O TEMPO REAL DA PARTIDA>>> VEJA A TABELA DA COPA DO BRASILO jogo Se olhar a posição dos times na tabela do Brasileiro, qualquer
apostador cravaria uma vitória do Atlético-MG. Ainda mais por jogar em casa, diante da torcida.

Mas do outro lado a Ponte Preta queria mostrar que poderia
surpreender.E o dia não era bom para o Galo também.

As surpresas, todas ruins, começaram antes do jogo. Victor foi cortado da partida, ainda no
aquecimento, por sentir dores lombares.

Uilson o substituiu. Nas cadeiras do estádio a torcida,
acostumada a lotar o Mineirão, compareceu em pequeno número para os padrões do
torcedor atleticano: 15.

493 pessoas no estádio.E, por fim, o futebol lento dos donos da casa na primeira
metade do jogo.

Fato que, nem de longe, fez lembrar o “rolo compressor” que se
mostra ser quando o Galo é o mandante no Brasileiro. A Ponte se aproveitou de tudo isso.

Roger se valeu de falha
da defesa do Atlético-MG, que parou no lance, e tocou na saída de Uilson aos 37 minutos. O
primeiro tempo foi sofrível em termos de qualidade técnica, e a Ponte Preta fez
o que se propunha: jogar por uma bola.

Ainda no primeiro tempo, mais uma notícia ruim: Marcos Rocha deixou o campo sentindo dores na coxa direita. Apesar de tudo isso, o Galo voltou melhor na segunda etapa, com a entrada de Maicosuel no lugar de
Otero.

O time ganhou a qualidade que precisava no meio para o ataque. E, em
grande jogada, Maicosuel achou Robinho, que tocou no canto direito de Aranha
para empatar aos 19 minutos.

 O Galo ainda perdeu Carioca nos 10 minutos finais de
partida, por lesão no tornozelo esquerdo, e como já havia feito as três alterações,
terminou o jogo com um jogador a menos. Nem Wellington Paulista, nem Abuda e
muito menos Matheus Jesus, que entraram no segundo tempo, foram capazes de
aproveitar o fator numérico em campo e o empate acabou sendo justo.

Douglas Grolli ainda foi expulso no último minuto.
.

Fonte: Globo Esporte