Sem muitos retornos dos lesionados ao time titular para o
jogo contra o Sport, o técnico Marcelo Oliveira deverá mandar a campo o mesmo
time que empatou com o Fluminense, na quarta-feira, no Independência. A grande
novidade é o retorno do meia Carlos Eduardo, mas este não deverá ser opção para
o início da partida.O treinador evitou falar na questão do alto número de jogos
em um curto intervalo de tempo, mas garantiu que Cadu joga, mas não deve
começar entre os titulares.

– Essa questão de calendário é muito batida. A todo ano se
fala disso, prejudica muito os clubes, que perdem muitos jogadores pela frequência
de jogos.

É uma coisa lamentável, mas a gente sabe que vai funcionar e
precisamos adequar. O Cadu treinou dois dias com bola, treinou bem.

Vamos
protegê-lo em relação ao tempo que ficou parado, mas está à disposição sim.LEIA TAMBÉM>>> Com titulares na academia, jogadores reservas do Galo treinam finalizações>>> Chutes de fora da área se tornam a principal cobrança de Marcelo Oliveira no GaloCom Carlos Eduardo a situação será diferente
do que aconteceu com Robinho, que voltou contra o Fluminense e iniciou no time
titular, sendo substituído no segundo tempo.

– Não depende só da minha opinião ou do meu desejo. O
Robinho, por exemplo, a gente fez a opção por necessidade.

O ideal era ele
entrar depois. Vamos ver a formação do time, adversário, como o Carlos vai
chegar amanhã para tomar essa decisão.

Certo é que ele vai reforçar o time.Favorito?Marcelo Oliveira vê o Atlético-MG como um candidato ao
título do Campeonato Brasileiro, principalmente quando os desfalques voltarem
ao time, mas nada de favorito absoluto para a conquista.

– Favorito é uma palavra bem forte. No Brasil, quando começa
o Brasileirão, por ser um campeonato de longa duração, você tem candidatos.

O
Atlético-MG é um candidato natural. Esperamos que esses jogadores retornem da
contusão, das convocações e você fortalece muito, até mesmo pelo entrosamento
do time.

.

Fonte: Globo Esporte