O Cruzeiro não teve medo do Horto, da estreia de Fred e nem
da melhor campanha do Atlético-MG até o início da sétima rodada do Campeonato Brasileiro. E, pela terceira
vez consecutiva, venceu o rival no Independência. O placar de 3 a 2 foi o
reflexo de um clássico guerreado, que premiou quem errou menos na
defesa.

 Jogo disputado terminou com quatro jogadores expulsões – Marcos Rocha, Bryan, Romero e Lucas.Fred até que se destacou.

Mais pelo gol do que pela atuação – o outro foi de Rafael Carioca. O Cruzeiro, que saiu
atrás no placar, buscou a vitória com Alisson, Riascos e Bruno Rodrigo,
deixando o rival na zona de rebaixamento.

E teve no uruguaio Arrascaeta o
grande diferencial do jogo com três assistências.LEIA MAISConfira como foi o clássico em Tempo RealVeja como está a tabela de classificação do BrasileirãoNa rodada de meio de semana, o Cruzeiro encara o
Flamengo, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Mineirão.

Na quinta-feira, o Galo vai a Porto Alegre, onde encara o
Internacional, às 19h (de Brasília), no Beira-Rio. EletrizanteO clássico começou quente.

Rafael Carioca tratou de abrir o
placar em cobrança de falta. A bola bateu na barreira e morreu mansamente nas
redes do imóvel Fábio.

Mas o Cruzeiro não se abateu, e chegou ao empate com
Alisson, que completou boa jogada de Arrascaeta pela direita.Mas os holofotes estavam em Fred.

O estreante da tarde teve
apenas uma chance para finalizar no primeiro tempo, após cruzamento de Patric.
O atacante cabeceou nas mãos do goleiro Fábio.

O Galo sentia a falta de um
armador de ofício e abusava da ligação direta. Com isso, Fred e Robinho ficavam
isolados na frente.

O Cruzeiro se postava da maneira que mais leva perigo: nos contra-ataques.
Com os rápidos Arrascaeta, Alisson e Élber, a defesa do Atlético-MG sofria com
as descidas velozes do ataque celeste.

Numa delas, Élber saiu cara a cara com
Victor e tocou por cobertura, mas o goleiro atleticano conseguiu se recuperar e
fazer a defesa.Quatro expulsõesO segundo tempo manteve a temperatura alta da partida.

Logo
no início, Riascos, que havia perdido o fatídico pênalti para o Tijuana, na
Libertadores de 2013, contra Victor, dessa vez, superou o goleiro, após mais
uma boa jogada de Arrascaeta sobre Gabriel. Mas se faltava Fred aparecer, depois de cruzamento de
Patric, o estreante manteve a escrita de sempre marcar gols em estreias.

Dominou e tocou para o fundo das redes. Delírio no Independência, que ainda viu
Marcos Rocha e Bryan serem expulsos depois de confusão generalizada.

E Bruno Rodrigo, de cabeça, tratou de recolocar o Cruzeiro
na frente. Arrascaeta, de novo ele, cobrou falta e o defensor só teve o
trabalho de tirar de Victor, diante de uma defesa totalmente desarrumada.

O final de jogo foi dramático. Sem Lucas e Romero, que também foram
expulsos, a Raposa se segurou como pode e contou com a inoperância atleticana
para sair do Horto com os três pontos.

.

Fonte: Globo Esporte