Há dez anos morria o técnico Telê Santana. Apelidado “Fio
de Esperança” por conta do corpo esguio, o mineiro foi jogador de futebol entre
1951 e 1963, quando a liderança e a experiência do campo tornaram a transição
para o cargo de técnico algo natural. Treinou vários clubes e fez sucesso também
na seleção brasileira, comandando-a em duas Copas do Mundo e deixando tatuada
na mente dos amantes do futebol o verdadeiro jogo bonito.

O Esporte Espetacular
conversou com alguns dos discípulos e comandados de Telê para saber mais sobre
o legado deste técnico tão marcante na história do futebol brasileiro. (clique
no vídeo e veja a reportagem de Marcelo Pizzi)Telê Santana – É  o que nós sabemos fazer.

O dia que nós
quisermos entrar em campo, para dar pontapé, para jogar com violência, a gente
vai perder tudo, porque o futebol brasileiro é outra origem. Nós sabemos jogar
e muito bem.

Nós temos habilidade e técnicaRogério Ceni – Eu trago muito dos ensinamentos dele. Não só para o
futebol, mas para a vida.

São dois títulos mundiais e duas Taças Libertadores. Não tem como
não ser lembrado, não é? Peço a Deus que ele esteja lá no céu olhando pela
gente.

Ele será eternamente lembrado aqui dentro.Zico – Um dos maiores técnicos do futebol mundial de hoje é o Pep
Guardiola.

E ele cansa de dar entrevistas de que uma das fontes de inspiração
foi o time de 1982. Era a seleção brasileira dirigida pelo Telê Santana.

 

Raí – Telê fez com que crescesse o meu jogo. Ele também queria que eu fosse
um jogador mais completo.

Eu não era um jogador artilheiro ainda, era mais o
organizador do time. E ele fez com que eu penetrasse mais na área, ficasse mais
presente no ataque e fizesse mais gols.

 

Muricy – O que é do Telê, realmente, é a perseverança, a determinação, não
desistir nunca, trabalhar pra caramba. Ele falava: “Meu, os caras podem te
mandar embora por qualquer coisa, por resultado, por um trabalho que não foi
bom.

Mas eles não podem te mandar embora por falta de trabalho!” De vez em
quando, sonho com ele. Isso é muito legal.

Há pouco tempo sonhei com ele dando
risada. Não sei por que ele estava dando risada? O Telê nunca dava muita
risada.

 
.

Fonte: Globo Esporte