No  início de 2016, se o torcedor do Atlético-MG tivesse que escalar o time titular para o início da temporada, poderia até ter alguma dificuldade em algumas posições, mas nas laterais não havia dúvida: era Marcos Rocha na direita, e Douglas Santos na esquerda. Em meados de agosto, porém, na metade do Campeonato Brasileiro, os titulares alvinegros das duas posições não estão mais tão garantidos assim.Na direita, Marcos Rocha sofreu uma lesão no cotovelo direito e abriu espaço para Carlos César, que vem atuando muito bem.

Na esquerda, Douglas Santos foi convocado para a seleção olímpica e deu lugar a Fábio Santos, também muito seguro – e que já se credenciou a permanecer na equipe titular. Curiosamente, os números da dupla considerada reserva são melhores do que os números de Marcos Rocha e Douglas Santos.

Os dois titulares atuaram juntos em seis partidas no Brasileirão. O Galo venceu três delas, empatou duas e perdeu uma.

Carlos César e Fábio Santos jogaram juntos quatro vezes, e o time venceu todas. Eles tentarão melhorar o retrospecto, mais ainda, neste domingo, quando Atlético-MG encara o Santos, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro.

É claro que os números não refletem diretamente as atuações das duplas, até porque Rocha e Douglas eram titulares em um momento que o Atlético-MG sofreu muito na competição, principalmente por causa das lesões de titulares. Por outro lado, Carlos César e Fábio Santos entraram na equipe no melhor momento da temporada, com o time mais ajustado em campo e com a maior parte do grupo à disposição de Marcelo Oliveira.

Apesar disso, ambos têm parcela de responsabilidade no bom momento alvinegro na competição, vêm tendo atuações seguras e aparecem como candidatos à permanência na equipe principal.Primeiro, a defesaAlém das boas atuações, um fator pode jogar a favor de Carlos César e Fábio Santos: a característica e a consciência defensiva de ambos.

Como o Galo joga com quatro atacantes e um esquema muito ofensivo, é importante que os laterais se preocupem mais com a marcação, para evitar que o time fique desprotegido na defesa pelos lados. Marcelo Oliveira explica melhor o esquema defensivo e prefere não pensar em quem joga nas laterais agora, apenas quando Marcos Rocha e Douglas Santos estiverem de volta.

– Quando joga o Pratto
com Fred e Robinho, a gente modifica algumas situações nos jogadores de trás.
Passagem dos laterais tem que ser bem ordenada e alternada, a situação
dos volantes é diferente.

Os laterais estão
muito bem. Carlos César cresceu bastante nos últimos jogos, e o Fábio (Santos) está jogando
aquilo que se esperava dele.

Muito equilibrado, não erra passe, faz bem a linha
de quatro. Essa situação a gente vai decidir quando tiver todo mundo junto.

Carlos César, que deixou claro o respeito e admiração que tem por Marcos Rocha, avisou que quer sempre estar jogando como titular, e também destacou a prioridade defensiva dele e de Fábio Santos.Carlos César cresceu bastante nos últimos jogos, e o Fábio está jogando aquilo que se esperava dele.

Muito equilibrado, não erra passe, faz bem a linha de quatro. Essa situação a gente vai decidir quando tiver todo mundo junto.

– Como o futebol vem exigindo
muita maturidade dos jogadores para exercer suas funções, a gente tem entendido
muito bem essa questão. Tanto eu quanto o Fábio (Santos).

Eu me identifico muito com o
modo dele jogar. Essa preocupação em primeiro defender, cuidar da
estrutura de trás da equipe, para que o ataque esteja bem para poder fazer suas
jogadas e, mesmo quando perder a bola, estar com um time compactado atrás, mais
organizado.

A gente vem trabalhando forte, tendo esse cuidado, porque não tem
essa necessidade da gente (laterais) sempre atacar, porque temos quatro atacantes de
qualidade para fazer essa função. A gente tem que dar um apoio a eles.

Essa questão
de atacar e fazer gol a gente está bem representado. Mantendo essa boa
organização atrás e ajudando eles na frente, a gente consegue dar uma qualidade
boa na equipe.

Douglas Santos retorna ao time alvinegro ao fim da participação brasileira no torneio de futebol masculino da Olimpíada. Marcos Rocha, por sua vez, já está recuperado da lesão que sofreu no cotovelo, mas ainda precisa de alguns dias de reforço físico para voltar a treinar com os companheiros e ser relacionado para as partidas, o que deve acontecer na próxima semana.

A partir daí, será com Marcelo Oliveira.(*) Sob supervisão de Gabriel Duarte
.

Fonte: Globo Esporte