Neste início de Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG sofreu
com o excesso de desfalques. Perdeu pontos pela falta dos principais
jogadores – vários lesionados, outros convocados para a Copa América. Clube
chegou à zona de rebaixamento.

Atualmente na 14ª colocação da tabela, terá que se recuperar para se aproximar dos
líderes da competição.Contra o Grêmio, por exemplo, no Independência, o técnico
Marcelo Oliveira não pôde contar com onze jogadores.

Apenas na estreia, contra
o Santos, e na última rodada, contra a Ponte Preta – as duas únicas vitórias do
time -, o Atlético-MG teve a presença de armador de ofício em campo, já que
Cazares estava com a seleção do Equador, e o meia Dátolo, lesionado.Nesta quarta-feira, às 21h45 (de
Brasília), no Mineirão, o Galo vai enfrentar um adversário que passa pelo problema do qual foi vítima na maioria
das vezes: O Corinthians terá nove desfalques.

Entre
eles, o goleiro Walter, o zagueiro Balbuena, os volantes Elias e Christian e o
atacante André.Chance para o Atlético-MG aproveitar, assim como os
adversários fizeram quando o Galo se encontrava bastante desfalcado, conforme
destaca o lateral-direito Marcos Rocha.


Durante o campeonato
as equipes passam por instabilidade. Hoje a gente tem a equipe quase completa.

Já passamos por esse momento. Agora, é o momento de a gente aproveitar essas
instabilidades das outras equipes.

Novo treinadorO fato de ser a estreia de Cristóvão Borges no Corinthians
não quer dizer que o Galo encontrará facilidades ou dificuldades, conforme
analisou o goleiro Victor.- Toda mudança gera algumas situações.

Seja na motivação,
seja na filosofia de trabalho. O Cristóvão é um grande treinador e já pega uma
equipe formada, que vem jogando junto há um bom tempo.

Não vejo que isso possa
gerar instabilidade. Temos que focar no nosso melhor porque a gente sabe que
vamos pegar uma grande equipe.

.

Fonte: Globo Esporte