Apesar de ter chamado atenção para os erros cometidos pela equipe durante a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, neste domingo, no Independência, principalmente na segunda etapa, o técnico Marcelo Oliveira valorizou o resultado obtido. Isso porque o triunfo fez o Atlético-MG se recuperar da derrota para o Santos e voltar a encostar na briga pelo primeiro lugar do Campeonato Brasileiro.- Vitória de fundamental importância na caminhada.

Às vezes, as vitórias vão ser com dificuldade mesmo, porque o campeonato é assim para todo mundo. Tem que
estar muito perseverante com a luta e entrega em determinados jogos.

Tivemos muitas
ações ofensivas, principalmente no primeiro tempo, com jogadas de contra-ataque e com maior posse de bola. Era um time (Atlético-PR) muito bom, rápido, embora tenha tido
muitos desfalques.

Soltaram os laterais com poder ofensivo, tentamos jogar muito
nas beiradas, acho que foram 29 cruzamentos, mas sem o aproveitamento
necessário. Ficou um jogo difícil, perigoso, porque a bola parada deles é
perigosa, além do contra-ataque.

Temos que comemorar muito, porque foi uma
vitória boa, mas temos que discutir essas situações para fazer um jogo mais
regular depois – chamou a atenção do treinador.Segundo ele, o resultado poderia ter sido obtido com mais tranquilidade, mas foi importante para manter o bom desempenho como mandante.

Com a vitória, o Galo chegou aos 38 pontos, ficando a um ponto do líder Palmeiras, que ainda joga na rodada. – Acho que não precisava ter tanta dificuldade, drama, por
causa do coração do técnico.

Mas faz parte do jogo, mérito do Atlético-PR também, que montou
um time de jogadores jovens, apesar dos muitos desfalques. Em um campeonato de pontos corridos é básico, tem que
fazer aproveitamento alto em casa e buscar resultados fora.

Quando tem
concorrente direito, como foi o caso do Atlético-PR, fizemos um empate lá e a vitória aqui. Isso é favorável, e
vamos fazendo o caminho assim.

Acho que não precisava ter tanta dificuldade, drama, por
causa do coração do técnico. Mas faz parte do jogo, mérito do Atlético-PR também, que montou
um time de jogadores jovens, apesar dos muitos desfalques.

Em um campeonato de pontos corridos é básico, tem que
fazer aproveitamento alto em casa e buscar resultados foraCarlos, e não OteroSobre a opção tática de escalar Carlos em vez de Otero para a vaga de Fred, o treinador explicou que estava preocupada com os avanços dos laterais do Atlético-PR na partida e, por isso, escalou o atacante para atuar ao lado de Maicosuel, que ficou devendo nesta partida, segundo o treinador. – Poderia ser um ou outro (Carlos ou Otero).

No caso do Otero jogaria por dentro, e o Robinho pelo lado, mas ele teria
dificuldade, porque os laterais apoiam muito, tanto o Sidcley como o Galhardo
apoiam muito, e é difícil jogar com um atacante pelo lado e não marcar a lateral.
Sobrecarregaria os volantes.

Fiz opção por isso. Carlos e Maicosuel são
jogadores táticos, ajudam na marcação e nos ajudam a sair.

O Carlos foi bem,
o Maicosuel abaixo do normal, não puxou contra-ataque agora no segundo tempo,
mas isso ocorre, quando o jogador vem jogando bem e é muito marcado, tem
dificuldade mesmo. Mas o Otero participou bem com a bola, precisaria só na
recomposição marcar mais o volante do adversário.

.

Fonte: Globo Esporte