Se milagres acontecem, quem foi ao Independência viu dois de perto. O primeiro foi o retorno de “São Victor” ao gol do Atlético-MG,
depois da rápida recuperação de uma cirurgia no joelho direito. O segundo foi a vitória do Tricordiano,
por 4 a 2, que livrou o time do Sul de Minas do rebaixamento ao Módulo II do
Campeonato Mineiro.

Quando Cazares abriu o placar para o Atlético-MG, o destino
do time de Três Corações parecia selado, já que os resultados naquele momento
indicavam a queda. Mas quis o destino – e o fraco futebol apresentado pelos
reservas de Diego Aguirre – que a equipe do interior alcançasse um triunfo
inesperado com os três gols de Marcinho, Juninho, Marquinhos e Arnold.

Robinho
ainda descontou para o Galo.Assim como iniciou a rodada, o Galo terminou a fase de
classificação em segundo, com 20 pontos.

Vai encarar a URT, de Patos de
Minas, com o primeiro jogo das semifinais sendo no interior. O outro embate
será entre Cruzeiro e América, com a equipe celeste tendo a vantagem por ter
terminado na liderança.

LEIA MAISConfira como foi o Tempo Real do jogoVeja como ficou a tabela ao fim da última rodada da fase de classificação Para o Atlético-MG, era uma espécie de jogo-treino, já que
alguns jogadores utilizaram a partida para se manter ou buscar um melhor ritmo
de jogo. Casos de Victor, Cazares e Tiago, que vão encarar o Melgar, na próxima
quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Mineirão.

O goleiro atleticano foi a grande novidade da partida, já
que se recuperou em tempo recorde da cirurgia no joelho direito, que o afastou
de sete partidas. No primeiro tempo, o torcedor vibrou com a primeira defesa do
camisa um.

Uma espécie de “graças a Deus pelo retorno”, já que Uilson não
agradou nos três jogos que defendeu a meta atleticana.O primeiro tempo foi sonolento.

Cazares, de pênalti, para o
Galo, e Marcinho, após boa jogada de Juninho, para o Tricordiano, modificaram o
placar, mas não o empate do começo da partida. No início do segundo tempo, o
Tricordiano alimentou a esperança de manutenção na elite do futebol mineiro com
o gol de Juninho, de pênalti.

Que aumentou ainda mais com um belo chute de
Marquinhos, que encobriu Victor. O tempo ia passando, o Atlético-MG ia tropeçando nos
próprios erros e na trave de Marcão.

Lucas Cândido e Clayton carimbaram o poste
do goleiro do Tricordiano. E o sonho da permanência ia aumentando.

Robinho, que
entrou no segundo tempo, ainda diminuiu, mas Arnold, logo ampliou. Vitória
histórica no Independência!
.

Fonte: Globo Esporte