O Atlético-MG não foi humilde contra o América-MG. Esta é a opinião de Erazo. O zagueiro do Galo acredita que o time alvinegro não entrou em campo no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro com a mesma energia do Coelho e, por isso, perdeu por 2 a 1, no Independência.

Mas o que o jogo do Estadual tem a ver com a partida com o Racing, pela Libertadores. Os jogadores do time alvinegro acreditam que a atuação de domingo pode servir de lição para que os erros não sejam repetidos.

 – Uma grande lição. Eu acho que faltou humildade de reconhecer que o América tem m grande equipe, não entramos com humildade.

Cabe usar isso de inspiração. isso tem que servir para gente.

para que isso não se repita na quarta nem com outros rivais. Mas adianta falar de América agora.

Não adianta porque o foco do Galo é agora na Libertadores. O confronto decisivo das oitavas de final é contra o Racing, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência.

Erazo acredita que o Atlético-MG entrou um pouco relaxado contra o Coelho, mas que isso não pode ser repetir contra a equipe argentina. – É o que eu acho, não sou psicólogo, mas inconscientemente você entra em campo e sabe que não é um jogo de Libertadores.

Sabe que é uma final, mas tem dois jogos, 180 minutos. É difícil de explicar.

O América entrou
com vontade, era o jogo da vida deles. Mas falar do América agora não é o momento, é
esperar o Racing.

Se a gente ganha do Racing, o segundo jogo contra o América vai ser
diferente do de ontem. O atacante Hyuri acredita que observar os erros da partida contra o América-MG pode ser muito importante para melhorar e vencer o Racing.

O jogador acha que o Galo vacilou no primeiro jogo da final e sabe que a preparação para o jogo vai ser muito mais psicológica do que no campo. – Serviu de lição, independente da competição, temos que
entrar pra ganhar.

Não tem que jogar bonito, mas precisamos merecer a vitória. Ontem
a gente vacilou.

É uma decisão. Se aconteceu isso, fazer para que não aconteça
de novo.

Serve de lição, vamos conversar mais. O tempo é curto, vai ter que ser
na base da conversa.

 
.

Fonte: Globo Esporte