O Atlético-MG finalmente conseguiu a primeira vitória no Campeonato Brasileiro. No triunfo por 2 a 0 sobre a Ponte Preta, a formação que entrou em campo não contou com Rafael Carioca, considerado titular no Galo. A substituição levantou a questão do rodízio de jogadores, sistema muito criticado no comando do último técnico, Diego Aguirre.

No lugar do volante, Clayton assumiu a posição. Carioca completou 100 jogos contra a Macaca, mas começou no banco de reservas por uma opção de Marcelo Oliveira.

O treinador do Galo justificou começar como volante no banco porque ele estava desgastado fisicamente. Marcelo Oliveira admite que o rodízio de jogadores pode ser importante para uma competição longa como o Campeonato Brasileiro.

– Foi uma
combinação das coisas. O Carioca estava bem desgastado, e a
convicção que a gente poderia marcar um pouco mais com Urso e o Donizete.

E
porque teríamos Cazares mais solto, Robinho que acompanha o lateral até certo
ponto. Nós precisávamos, então, de dois volantes que pudessem cobrir uma eventual
necessidade nos laterais adversários e volantes.

Vamos estudar bem isso. Tudo
que for feito será feito em prol do time, para ter uma melhor formação para
esse próximo jogo.

O próximo jogo do Atlético-MG é contra o Corinthians, na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Mineirão, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com dez pontos, o time saiu da zona de rebaixamento, saltou para a 13ª posição, mas ainda permanece ameaçado.

Porém, ganha ânimo para o restante da Série A. Elenco de qualidade

Nas últimas semanas, os bastidores do Atlético-MG foram movimentados.

Além da badalada contratação de Fred, a diretoria anunciou a chegada do zagueiro Ronaldo e do lateral Fábio Santos. Marcelo Oliveira elogiou a postura da diretoria de agir rápido com as contratações e se disse satisfeito com o elenco atual.

No entanto, o comandante do Atlético-MG admite que a direção e a comissão continuam atentos ao mercado, mas que isso é assunto interno. – Nós vamos falar sobre isso, já
comentamos até que é necessário ter uma reunião a esse respeito.

Vamos fazer
isso internamente, com calma. Quando chegamos, detectamos que precisamos de
algum atacante, porque o Pratto vai se ausentar em algum momento, com lesão ou
suspensão.

Precisamos de um lateral-esquerdo, para não estar improvisando, de zagueiros
porque perde-se muito pelos cartões amarelos ou eventuais convocações. Estamos
satisfeitos com aqueles jogadores que vieram e como o grupo está mais composto.

Formação de elenco é uma coisa muito séria e muito importante. Vamos apurar com
calma durante a semana e acho que o elenco vai estar mais forte à medida que os
jogadores recuperarem.

Vai ter mais opções. Um time jogando forte lá dentro e
um banco que nos dê condições de recuperar se precisar.

 
.

Fonte: Globo Esporte