Gabriel Jesus, artilheiro do Brasileirão com dez gols, tem apenas 19 anos e é visto como uma das maiores promessas do futebol brasileiro. Grafite, vice-artilheiro com oito, foi campeão alemão, disputou a Copa do Mundo de 2010 e, aos 37 anos, vive suas últimas temporadas jogando bola profissionalmente, assim como Bruno Rangel, 35, terceiro colocado na disputa com sete gols. Apesar dos dois estarem em fases opostas na carreira, o bom momento deles sintetiza uma realidade na Série A: a maioria dos atacantes que disputa o torneio ou está muito próxima dos 20 anos, ou vê os 40 de perto.

 O dado ilustra a dificuldade que os clubes encontram de achar
centroavantes que aliem qualidade, experiência e estejam no melhor
momento físico na carreira. Há poucos atletas entre 26 e 30 anos,
período apontado pela maioria dos especialistas como o momento em que 
um jogador da posição rende melhor.

Os números totais reforçam a
impressão: dos 20 centroavantes titulares de clubes da Série A, nove
passaram dos 30 anos e seis sequer chegaram aos 25. Há cinco exceções:
os estrangeiros Ariel (Internacional) e Riascos (Cruzeiro), Victor
Rangel (América-MG) e Kieza (Vitória) e Alan Kardec, que deve assumir a
posição no São Paulo após a saída de Calleri.

Nos últimos anos, a idade dos artilheiros da Série A também foi abaixo de 25 ou acima de 30 anos. Apenas Fred, em 2012, tinha 29 quando foi o goleador do campeonato pelo Fluminense, com 20 gols.

Ele foi o goleador em 2014 também, mas já aos 31 anos, mesma idade de Borges em 2011. Ederson (tinha 24 quando foi artilheiro da Série A pelo Atlético-PR em 2013) e Ricardo Oliveira (somava 35 anos em 2015, quando marcou 20 gols pelo Santos e foi o goleador da Série A) completam a lista.

Geração que não se firmouO Brasil revelou vários centroavantes que hoje estão entre 26 e 30 anos, mas nenhum deles chegou se firmar pela Seleção. Apenas Keirrison, atualmente no Londrina, foi artilheiro de um Campeonato Brasileiro, com 21 gols em 2008, o suficiente para que o Palmeiras, e depois o Barcelona, se interessassem por ele.

Outro nome badalado é o de Alexandre Pato. O atacante de 27 anos declarou publicamente que não gosta de atuar como centroavante, preferindo a ponta esquerda ou a função de falso 9.

Outros jogadores que tiveram destaque e estão entre 26 e 30 anos são Alan Kardec, que chegou a ser especulado na seleção brasileira, mas não vive bom momento, Leandro Damião, recém-contratado pelo Flamengo (foi artilheiro dos Jogos Olímpicos de 2012, mas depois de sair do Internacional jamais teve o mesmo rendimento), Walter, do Atlético-PR, e André, que perdeu a posição no Corinthians recentemente.Poucas opções no exteriorA dificuldade em haver bons centroavantes brasileiros com carreira consolidada e alguns anos de bom futebol pela frente transcende os limites da Série A.

Hulk, que atua na posição, marcou 17 gols na última temporada pelo Zenit e foi vendido para o Shanghai SIPG, da China. É uma exceção aos 30 anos.

Luiz Adriano, aos 29, começou bem no Milan, mas foi para a reserva. Jô, que disputou a última Copa do Mundo, viveu um longo jejum de gols do Atlético-MG antes de ir para os Emirados Árabes Unidos e depois para a China.

Na Copa América, Dunga utilizou dois jogadores no setor na Seleção: Jonas, 32 anos, e Gabriel, 20. Ambos atuam pelos lados do campo em seus clubes.

Outros nomes no futebol chinês estão entre os 26 e 30 anos, mas jamais foram convocados para a Seleção principal. São os casos de Elkeson (27), e Bruno Meneghel (29).

Outros, como Ricardo Goulart (25), ainda têm, teoricamente, seus melhores anos pela frente, enquanto Diego Tardelli (31) ainda vive um bom momento, próximo do auge físico.
.

Fonte: Globo Esporte