O Atlético-MG está em solo equatoriano para uma das partidas mais importantes da fase de grupos da Libertadores. O duelo contra o Independiente del Valle, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na cidade de Sangolquí, pode valer a classificação antecipada do Galo para as oitavas de final. O volante Júnior Urso sabe que fazer apenas um ponto na altitude é um resultado ótimo, já que garante o passaporte para próxima fase.

No entanto, ele tem consciência de que o time alvinegro tem qualidade para vencer fora e buscar o primeiro lugar geral. – Vamos em busca dos três pontos em qualquer competição.

Mas, se
caso acontecer um ponto, já será o suficiente para nos classificar. Então, é entrar
com toda a vontade que sempre entramos, que tem tudo para acontecer a classificação.

Na última partida do Atlético-MG, contra o Villa Nova, pelo Campeonato Mineiro, Aguirre surpreendeu com uma formação de três volantes. E o Galo surpreendeu dentro de campo: goleada de 7 a 2.

Envolvido direto com as mudanças no meio de campo, Urso garante que não o treinador não deu pistas se entra com três volantes contra o Del Valle. E lembra que se sentiu confortável com o esquema.

 – Eu achei boa a formação com três volantes. É claro que o
Galo tem o costume de apresentar sempre equipes ofensivas.

É bom para ele (Aguirre), que tem mais opções. E foi bom para
saber que nossa equipe se comporta bem com três volantes também.

Se o Atlético-MG jogar com dois volantes, Junior Urso vai disputar posição com Leandro Donizete, já que Rafael Carioca tem se mostrado imprescindível para o esquema do treinador uruguaio. O volante acredita que Aguirre deve bater o martelo no treino desta terça-feira.

 – Eu acho que ele tem uma dor de cabeça boa para solucionar. Na verdade, nosso time se comportou bem (diante do Villa Nova), mas essa formação
com três volantes foi bastante questionada.

Fizemos um placar elástico que, de repente, não conseguiríamos
com outra formação. Agora é colocar a cabeça no lugar e estar focado para o
jogo.

Caldeirão do Del ValleO estádio Rumiñahui, em Sangolquí, tem torcedores bem próximos ao campo. No entanto, Junior Urso não teme a pressão dos torcedores, já que está acostumado com a vibração de perto dos atleticanos no Independência.

– Acho que sim, eles com o apoio da torcida deles, mais próximo
do campo, favorece a eles. Mas estamos tranquilos com relação a isso, até
porque no Independência é tudo muito próximo.

É trabalhar, impor nosso ritmo,
que acho que conseguimos um bom resultado. 
.

Fonte: Globo Esporte