Alguém duvida que em clássicos as forças se equivalem? Basta ver o placar do primeiro jogo das semifinais do Campeonato Mineiro entre América-MG e Cruzeiro para ter certeza. O 4º colocado Coelho bateu a líder Raposa por 2 a 0 e, agora, pode até perder por um gol de diferença no jogo de volta, no Mineirão, domingo que vem, que estará na final do Estadual.Os gols de Adalberto e Victor Rangel obrigam o Cruzeiro a fazer o que ainda não conseguiu fazer na competição: vencer o América-MG.

E terá que fazer o mesmo placar na equipe que tirou a invencibilidade da equipe de Deivid, que vinha de nove vitórias e dois empates.DesperdícioO Cruzeiro poderia ter aberto o placar, no primeiro tempo.

Mas pecou em excesso no último passe e nas finalizações. O preciosismo de
Rafael Silva e Arrascaeta ao tentar dar um último drible prejudicou a Raposa de
ter saído de campo nos primeiros 45 minutos com a vitória parcial.

O América-MG não conseguia manter a posse de bola. Defendia
com dificuldades e pouco atacava.

Tudo indicava que só poderia chegar ao gol
nas chamadas bolas paradas. Dito e feito.

Em falta cobrada para a área,
Sueliton cabeceou para o meio e a bola encobriu Cabral e achou Adalberto que,
de primeira, contou com a indecisão na saída do gol de Fábio para abrir o
placar.Delírio e alívio para a torcida americana, que viu um
primeiro tempo apático do time de Givanildo Oliveira.

O Cruzeiro de Deivid foi
punido pela falta de decisão, apesar de também não ter demonstrado um grande
futebol para decretar o placar adverso uma das grandes injustiças dos últimos
tempos. Tática deu certoNo segundo tempo, o América-MG foi quem passou a comandar a
partida.

E com consciência. Em vantagem no placar, Givanildo orientou o Coelho
para sair nos contragolpes.

Tática que deu certo. Ainda mais depois das mexidas
de Deivid, que sacou Cabral, Arrascaeta e Rafael Silva para as entradas de Élber,
Pisano e Alano.

Henrique e Romero não conseguiam preencher os espaços
deixados pelos atacantes celestes e num desses contra-ataques
americanos,
Victor Rangel não perdoou ao receber livre de Pablo e ampliar o
marcador. Antes, o Coelho já havia acertado a trave de Fábio, com Tiago
Luís, e fez o goleiro celeste salvar em dois lances seguidos.

.

Fonte: Globo Esporte